Quem gosta de cuidar das próprias finanças provavelmente sabe a importância de contar com recursos e ferramentas interessantes para facilitar a tarefa. E quem não desenvolveu esse hábito ainda precisa atentar para a importância dele.

Afinal, organizar sua vida financeira é fundamental para obter mais riqueza e evitar desequilíbrios. Algo que ajuda a alcançar tais objetivos é o balanço patrimonial pessoal. Ele é útil na hora de entender onde suas escolhas têm lhe levado.

Ficou interessado em saber mais sobre o tema? Confira as informações que reunimos neste post!

O que é o balanço patrimonial pessoal?

O balanço patrimonial representa uma ferramenta de diagnóstico financeiro. Ele mostra visualmente de maneira simples e direta como está a realidade financeira de uma pessoa. O recurso é muito utilizado também em empresas.

Como funciona na prática? É fácil: basta fazer o exercício de registrar todos os seus bens e o dinheiro que tem em conta, ao lado das dívidas que você tem em determinado período. Ou seja, indicando as parcelas de cartão, empréstimos, financiamentos, etc.

Algumas pessoas se enganam ao olhar apenas para os ativos na hora de avaliar seu patrimônio. Essa é uma prática equivocada pois, na verdade, o que importa é o patrimônio líquido — o que você tem depois de pagar as dívidas.

Pense em alguém que possui um veículo financiado. O valor do bem é considerado um ativo, mas, se o pagamento ainda está sendo realizado, é preciso adicionar a quantia que falta no registro dos passivos.

Para que serve o balanço patrimonial?

É preciso ficar atento a um aspecto importante: o balanço patrimonial não funciona como um recurso de planejamento ou previsão financeira. Ele é um retrato da situação de determinado período das suas finanças.

Trata-se de uma visão geral das finanças, logo, não mostra ganhos e gastos cotidianos. É como se você tirasse uma foto da sua realidade financeira. Nela, aparecem os ativos (bens e dinheiro que está disponível) e os passivos (valores que precisam ser pagos).

Então, para que serve o balanço patrimonial pessoal? Uma de suas funções é fazer um diagnóstico financeiro. Quando seus ativos são maiores do que os passivos o resultado é positivo. Quando acontece o contrário, é negativo.

Outro objetivo é indicar a evolução do seu patrimônio ao longo do tempo. Quem mantém o balanço atualizado anualmente, por exemplo, consegue ver como está o crescimento dos seus bens — ou das suas dívidas.

É fundamental garantir o registro de todos os dados para que o balanço patrimonial cumpra seus objetivos. Entram nele: dinheiro disponível em conta, valores investidos em produtos financeiros, bens (como carro ou casa) e as dívidas.

Por que é importante fazer o balanço patrimonial pessoal?

Agora você já sabe o que é e para que serve o balanço patrimonial. Mas, afinal, qual é a relevância dele para sua vida? Será que o recurso pode realmente ser útil no seu dia a dia?

Confira as vantagens que ele traz.

Permite conhecer suas finanças

O primeiro benefício do balanço financeiro pessoal é a possibilidade que você faça um diagnóstico preciso das suas finanças. Muitas vezes, a rotina corrida dificulta o acompanhamento da nossa evolução patrimonial.

Com isso, existe até mesmo o risco de contrair dívidas sem perceber os efeitos delas no seu equilíbrio financeiro. Quando o balanço é feito, torna-se possível identificar a situação e ter mais clareza sobre seu patrimônio.

A ferramenta é especialmente útil para investidores. Como eles realizam diversos investimentos ao longo do tempo, é interessante atualizar o balanço patrimonial para checar se suas metas de enriquecimento estão acontecendo.

O mesmo vale para quem se planeja para o pagamento de dívidas. Avaliar o balanço patrimonial é uma maneira de perceber se a quitação está se aproximando.

Ajuda a montar um planejamento financeiro

Apesar de não ser um recurso direto de planejamento financeiro, o balanço patrimonial pessoal pode ser visto como um passo importante dele. Isso porque ter uma foto da sua situação atual cumpre a etapa do diagnóstico.

Afinal, é sempre necessário avaliar a realidade antes de planejar, certo? Conhecer o status de seu patrimônio ajuda a montar um planejamento financeiro condizente com suas necessidades e possibilidades atuais.

Permite mudança de hábitos

O que deve ser feito por quem se vê diante de um balanço patrimonial negativo? Em primeiro lugar, ser grato pela oportunidade de perceber isso, não é mesmo? O registro de seus bens e dívidas é fundamental para promover uma mudança de hábitos.

Se os passivos são maiores que os ativos no seu balanço, o resultado é ruim. Os dados indicam que não há saúde financeira e o seu orçamento está em risco. Assim, vale a pena aproveitar a chance de superar essa realidade.

A mudança deve ser colocada em prática a partir do planejamento e da transformação de hábitos. Buscar educação financeira e identificar práticas mais saudáveis em relação às suas finanças certamente lhe permitirão obter resultados melhores no futuro.

É útil na declaração de IR

Mais um benefício da realização do balanço patrimonial pessoal é facilitar sua declaração de Imposto de Renda. Nela, é necessário indicar os seus ganhos anuais e os bens que você acumulou até o momento — inclusive investimentos da renda fixa e variável.

Então, a declaração funciona de maneira semelhante ao balanço patrimonial. Quem já mantém registros atualizados dele consegue se organizar com mais tranquilidade para cumprir as obrigações fiscais e não esquecer nenhuma informação relevante para a Receita Federal.

Como criar o seu balanço patrimonial?

Depois de ver as principais informações sobre o assunto, chegou a hora de aprender a montar o seu balanço e colocar a ferramenta em prática. A primeira etapa é escolher um recurso para realizar o registro.

Uma planilha do Excel costuma funcionar muito bem, mas quem tem dificuldade com o programa pode realizar seu balanço patrimonial em um caderno. Depois de escolher, você só tem que dividir a planilha ou folha em duas colunas principais.

Em uma serão listados os ativos: identifique o bem e o valor dele — por exemplo, um imóvel de R$ 400.000,00, investimentos de R$ 10.000,00 em ações, etc. Na outra coluna deve ser feito o registro dos passivos.

Lembre-se que um mesmo bem pode figurar nas duas colunas. Se o imóvel que você tem é financiado, registre a dívida entre os passivos. Vamos supor que ainda falte pagar R$ 100.000,00 da casa — o valor deve ser descontado.

No fim, realize a subtração do total de passivos pelo total de ativos para chegar ao resultado do seu patrimônio líquido. Esse é o principal dado fruto do balanço patrimonial pessoal.

A partir dele, você pode se planejar e organizar suas finanças da melhor forma.

Quer aprender a enriquecer? Veja como suas decisões influenciam a formação de patrimônio!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *