O grande sonho do brasileiro é realizar boas aplicações financeiras, de modo a aumentar seu padrão de vida, sua estabilidade financeira e, até mesmo, ficar menos dependente do trabalho.Viver de renda, no entanto, pode parecer algo inalcançável para a maioria das pessoas.

Isso acontece por dois motivos: em primeiro lugar, porque qualquer plano dessa natureza não vai se concretizar da noite para o dia; é preciso executar um planejamento para um longo prazo.

O segundo motivo é que muitas pessoas acreditam não ter dinheiro para investir, mas na verdade, o problema é que não fazem um controle financeiro pessoal eficiente. É isso mesmo: muitas pessoas que têm problemas para administrar seus rendimentos continuariam a enfrentar dificuldades financeiras mesmo se ganhassem o dobro!

Por isso, dedicamos o artigo de hoje para tratar exclusivamente do tema. Vamos dar uma série de dicas sobre como você pode controlar suas finanças, para que possa, assim, começar a investir o quanto antes. Confira na sequência!

Conheça as finanças da família

O primeiro passo para começar a organizar as finanças é fazer um diagnóstico da situação financeira da família. Colocando de forma bem simples, essa etapa consiste em responder a três perguntas: “quanto ganho?”, “quanto gasto?” e “quanto poupo?”.

Pode parecer um absurdo, mas muitas pessoas não sabem nem quanto ganham! É preciso fazer uma estimativa realista para que o plano dê certo. Por isso, temos que considerar não apenas o valor que consta no contracheque, mas também bonificações, 13º salário, abono de férias, enfim, tudo que entra na conta!

O mesmo deve ser feito com as despesas. O ideal é anotar todos os dias, de maneira detalhada, as despesas da casa durante um mês para que elas possam ser analisadas racionalmente. Ao realizar as anotações, evite categorizar as despesas de forma excessivamente genérica, como por exemplo, “fatura do cartão”. O objetivo aqui é descobrir exatamente quanto você está desembolsando com cada uma das despesas.

Por fim, você já teve a impressão de que o seu dinheiro simplesmente some da conta como em um passe de mágica? Isso acontece devido às chamadas “despesas invisíveis”. Por isso, não se esqueça de anotar as despesas pequenas. Elas vão se somando e, no fim do mês, representam uma fatia considerável das despesas domésticas.

Viva de acordo com o seu padrão de vida

Muitas pessoas se sentem desmotivadas ou diminuídas quando são aconselhadas a viver de acordo com o seu padrão de vida. No entanto, viver de acordo com o padrão de vida não significa que a pessoa não deva ser ambiciosa. Uma coisa não tem nada a ver com a outra!

Trata-se apenas de fazer as despesas caberem dentro do orçamento e, no fim do mês, sobrar uma parcela dos rendimentos que possa formar uma reserva de emergência ou que possa ser investida.

Quando queremos trocar de carro ou adquirir aquele smartphone de última geração, é preciso traçar uma estratégia para que a despesa caiba dentro do orçamento de forma saudável, sem pagar caro por isso como acontece quando pegamos empréstimos ou nos endividamos com o cartão de crédito.

Em outras palavras, não é preciso olhar a vitrine da loja e pensar que você não pode comprar determinado produto. O melhor é olhar a vitrine e perguntar: “o que eu devo fazer para poder comprar isso?”.

Controle as despesas

Depois de fazer o diagnóstico financeiro e ajustar o padrão de vida, a tarefa mais importante dentro do planejamento das finanças domésticas é justamente controlar as despesas. Na teoria, não há dificuldade alguma: basta anotar todos os gastos ao longo do mês, mantendo-os abaixo dos limites prefixados.

A dificuldade aqui é de ordem prática. Não é fácil se manter motivado e disciplinado para fazer esse controle todos os dias. Por isso, a dica é baixar um aplicativo ou uma planilha de controle financeiro pessoal para ajudar a organizar essa tarefa.

Hoje em dia existem diversas opções de aplicativos para smartphone, e muitos apresentam uma interface intuitiva e prática. Assim, você pode eliminar pastas cheias de notas fiscais e cadernos cheios de anotações e ainda levar seu controle financeiro pessoal junto com você o tempo todo!

Estabeleça metas

As metas são muito importantes para atingirmos nossos objetivos, especialmente quando estamos falando de objetivos complexos, compostos por muitas etapas e que demoram bastante tempo, como é o caso dos objetivos financeiros.

Elas nos ajudam a visualizar a rota entre o lugar em que estamos agora e o lugar em que queremos estar no futuro. Além disso, também geram efeitos psicológicos interessantes, pois permitem que enxerguemos os avanços e nos motivam a seguir a caminhada.

O importante é começar com metas simples, que possam ser facilmente cumpridas, e se mover gradualmente em direção às metas mais ambiciosas. Assim, se você tem dívidas, pode começar a traçar suas metas no sentido de liquidá-las. Se não tem dívidas, pode começar a criar metas mensais para poupar dinheiro.

Corte as despesas desnecessárias

É muito mais comum do que imaginamos pagar por produtos e serviços absolutamente inúteis, simplesmente porque não fazemos uma revisão periódica sobre a necessidade das nossas despesas.

Um bom exemplo disso são os serviços de TV a cabo. Você pode, por exemplo, ter assinado o pacote completo de canais infantis para entreter as crianças, mas, dois anos depois, pode ser que elas não assistam mais aos canais infantis e estejam mais envolvidas com games e séries em plataformas digitais.

Outro tipo de despesa que pode ser absolutamente desnecessário são os encargos financeiros, como juros e multas, por exemplo. Quando gastamos dinheiro na pizzaria, é possível que estejamos cometendo um excesso mas, pelo menos, estamos ganhando alguma coisa em troca, não é mesmo?

O mesmo não acontece com o pagamento de juros e multas, pois o dinheiro gasto não se reverte em nenhum tipo de benefício para a família. Por isso, pagar as dívidas deve ser a prioridade número um de todo controle financeiro pessoal.

Invista seu dinheiro

Quando você já estiver conseguindo gastar menos do que ganha e ainda poupar parte dos seus rendimentos, será o momento de avançar para a última etapa do controle financeiro pessoal: os investimentos!

Investir é importante por dois motivos fundamentais: para que o investidor tenha um retorno capaz de aumentar o seu padrão de vida (ou diminuir suas horas de trabalho) e também para proteger o dinheiro da ação da inflação.

Agora que você já sabe como conseguir dinheiro para investir, aprenda mais sobre as estratégias de diversificação de investimentos para que você possa reduzir o risco de suas aplicações!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

Artigo publicado em 17/11/2017. Atualizado em 21/06/2019

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *