Você conhece todas as possibilidades de especulação na bolsa de valores? Além das operações de curto prazo mais conhecidas — como o day trade e o swing trade — também existem alternativas que muitas pessoas ainda não conhecem.

É o caso da estratégia scalping. Ela também visa aproveitar a volatilidade do mercado financeiro em negociações breves, mas funciona de uma maneira diferente do day trade. Então, que tal se familiarizar com mais uma opção?

Neste post, explicamos do que se trata e como é possível operar com scalping. Confira as informações para entender o assunto e ver se ele lhe parece interessante.

O que é a estratégia scalping?

O scalping é uma técnica de especulação que consiste em realizar operações rápidas e volumosas na renda variável. O objetivo do especulador — chamado de scalper, nesse caso — é fazer diversas negociações ao longo do dia.

Assim, ele busca realizar pequenos lucros em cada uma e seus ganhos se dão no volume de operações realizadas durante todo o período em que atua na bolsa.

O fato de lucrar pouco em uma operação não consiste em um ponto negativo, já que o especulador fará um maior volume de operações. Desse modo, ao final do dia, ele terá negociado uma quantidade significativa de ativos e pode somar um bom lucro obtido com todos.

Em resumo, podemos dizer que a estratégia scalping visa obter ganho no tempo mais curto possível. Para isso, o scalper aproveita variações de curtíssimo prazo para comprar e vender ativos na bolsa. Os intervalos são de poucos minutos ou até mesmo de segundos.

Qual é a diferença entre scalping e day trade?

Quem já está acostumado a realizar atividades de especulação ou a estudar o assunto pode ver semelhantes entre o scalping e o day trade. De maneira geral, é possível afirmar que um scalping é um day trade. Afinal, trata-se de uma operação iniciada e encerrada no mesmo dia.

Contudo, esta é uma maneira mais específica de realizar as operações de curto prazo na renda variável. E você deve conhecer as diferenças entre a estratégia scalping e a maioria das estratégias utilizadas por day traders.

A principal diferença entre as duas estratégias é que o day trade considera o intervalo de minutos ou horas, negociando ativos a partir das variações de preço em um mesmo dia. Assim, o objetivo do trader costuma ser encontrar diferenças significativas nos preços diariamente.

Já os scalpers não precisam considerar diferenças tão significativas nos valores. Afinal, eles aproveitam as operações de curtíssimo prazo — que também pode ser conhecido como período superintradiário.

A consequência é que o scalping geralmente envolve variações bem menores que as operações habituais de day trade, mas os ganhos podem ser atrativos. Como se tratam de compras e vendas feitas em intervalos de poucos minutos, o volume de negociações é alto.

Um exemplo prático lhe ajuda a entender melhor a diferença entre day trade e scalping Imagine que um trader realiza uma operação para conquistar determinado lucro enquanto um scalper pode ter ganhos parecidos fazendo dez operações menores, em intervalos mais curtos.

Como o scalping funciona?

Agora você já sabe o que é o scalping e qual é a diferença entre ele e outras formas de especulação na bolsa de valores. Vamos entender como ele funciona? A estratégia pode ser utilizada em diversos ativos — como ações, índices de dólar ,etc.

Como ficou claro até aqui, trata-se de uma técnica de especulação. Isto é, o objetivo não é investir no longo prazo, acreditando na valorização dos ativos no futuro. Assim, um das informações centrais sobre o assunto é a relevância da análise de mercado.

Um recurso muito utilizado pelos scalpers na análise dos ativos é o tape reading (ou análise do fluxo de ordens). Ele permite observar as movimentações dos grandes investidores do mercado. Ao utilizá-lo, os especuladores avaliam as oportunidades de seguir tendências.

A análise técnica também costuma ser utilizada pelos especuladores como forma de avaliação dos ativos. De modo semelhante, ela permite compreender os movimentos do mercado e identificar tendências nas variações de preço.

Quais são as vantagens e desvantagens da scalping?

Mas, será que o scalping é interessante? Antes de responder à pergunta, é preciso conhecer suas vantagens e desvantagens. Um dos principais pontos positivos é o aproveitamento de diversas oportunidades ao longo do dia.

Além disso, como são feitas operações de curtíssimo prazo, é possível se expor de maneira controlada aos riscos. O risco de mercado é menor em intervalos pequenos — e os valores negociados também costumam ser mais baixos, ajudando a limitar as perdas.

Outra característica que pode funciona como redução dos riscos é o fato de todas as atividades do scalper serem finalizadas durante o pregão da bolsa. Assim, não ficam posições abertas para o dia seguinte, evitando a exposição ao overnight.

Contudo, não podemos deixar de citar os riscos de mercado como uma das desvantagens da estratégia scalping. Como toda atividade de especulação, existe o perigo de se expor à volatilidade da bolsa de valores.

Consequentemente, outras desvantagens relevantes são de ordem emocional: presença de estresse, ansiedade e pressão. Vale destacar também que o scalping demanda tempo do especulador, que precisa ficar atento para realizar as operações rapidamente.

Os custos são mais um dos pontos negativos. Pagar taxas de corretagem de tantas negociações pode prejudicar os ganhos. Sem falar do pagamento de outras taxas em operações mais complexas, como long e short.

Para quem ela é indicada?

Chegando ao final do post, você provavelmente percebeu que a estratégia scalping não é algo simples. De fato, o mais indicado é que ela seja feita por pessoas que tenham conhecimento e experiência no mercado financeiro.

Vale destacar que operações de especulação não são apropriadas para investidores que não tenham perfil arrojado, já que os riscos são altos. É importante, ainda, desenvolver conhecimento sobre os recursos de análises de ativos antes de se arriscar como scalper.

Além da demanda de tempo para estudar sobre scalping e análise dos ativos, é preciso ter tempo disponível para acompanhar o mercado ao longo das horas em que você pretende realizar as operações.

Afinal, mesmo que se baseie em compras e vendas rápidas, os scalpers costumam passar horas trabalhando no home broker. Lembre-se de que o volume final é que gera ganhos significativos.

Por falar em home broker, mais uma indicação é que quem deseje operar com scalping possa contar com um sistema estável. Logo, vale a pena considerar a estrutura da instituição para evitar problemas com o sistema.

Agora você sabe o que é a estratégia scalping. Apresentamos as informações básicas sobre o assunto, como o modo de funcionamento, as vantagens e desvantagens. Não deixe de avaliar seu perfil de investidor e ponderar os riscos ao considerar o uso da estratégia.

E então, este post foi útil? Continue acompanhando conteúdos sobre economia e bolsa de valores no nosso canal no YouTube!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *