Você já perdeu o sono por causa de dinheiro e sentiu sua produtividade no trabalho ir pelo ralo por estar se preocupando com o pagamento de contas? Está enfrentando essa situação neste exato momento da sua vida? Talvez seja hora de aprender a lidar com o estresse financeiro.

A situação estressante pode acontecer por vários motivos, desde a má administração do orçamento pessoal até mesmo o medo de perder o emprego. E, consequentemente, a perda da sua fonte de renda.

Como esses problemas impactam na saúde física e mental, é importante saber como contornar a situação, sem deixar de assumir uma postura preventiva. Por isso, trazemos algumas sugestões neste artigo. Acompanhe!

Tenha um fundo de emergência

Um fundo de emergência é um montante financeiro destinado a cobrir despesas inesperadas. De maneira simples, é um dinheiro que você investe e esquece que ele existe até surgir uma situação de emergência.

Construir um fundo de emergência pode parecer difícil no começo, especialmente se você julga ganhar pouco. Por isso, comece colocando uma pequena quantia, nem que seja R$50,00 ou R$100,00 no mês.

Essa é uma das maneiras mais efetivas para lidar com o estresse financeiro já que, aos poucos, esse dinheiro vai se multiplicando e você começa a ficar mais confortável sabendo que tem um ponto de apoio financeiro caso as coisas não saiam como planejado.

Sem contar que é mais fácil planejar o orçamento – e cumprir com esse planejamento – se tiver um dinheiro extra no banco para cobrir as emergências que podem surgir.

Por outro lado, quem não tem uma reserva de emergência pode sofrer bastante com o estresse financeiro. Especialmente em situações de crises e adversidades.

Faça um diagnóstico do seu problema

Se você está passando por um estresse financeiro, precisa identificar a causa. Pode ser um problema de renda, de gastos ou uma combinação dos dois.

Muitas vezes, nós até sabemos quando o que ganhamos não cobre nossas contas. Mas nem sempre temos força para reverter esse quadro. Se você sabe que não ganha dinheiro suficiente para acompanhar suas despesas, decida o que pode fazer para mudar a situação.

Você pode procurar por uma segunda fonte de renda, mudar de emprego ou até mesmo buscar pela terapia – caso seja uma pessoa viciada em fazer compras, por exemplo.

O importante é refletir sobre a origem do problema e traçar um plano para mudar essa situação para sempre.

Acompanhe sua evolução

Encontrar aspectos positivos na forma como você administra seu dinheiro pode fazer uma grande diferença na hora de lidar com o estresse financeiro. Mesmo que à primeira vista você esteja perdido, é importante observar como você está progredindo em direção às suas metas.

Por exemplo, se você se dispôs a guardar R$50,00 no mês e economizou R$5,00 em uma determinada compra, o caminho para chegar ao seu objetivo ficou mais curto. Comemore!

Acompanhar o seu crescimento pessoal em relação às finanças pode ser um hábito poderoso. Afinal, ele pode servir como combustível para você se manter motivado nesta jornada.

Busque ajuda

Se você está percebendo que realmente vem enfrentando problemas relacionados ao seu orçamento pessoal, não é vergonha alguma procurar por ajuda. Você pode recorrer, por exemplo, a cursos sobre gestão financeira e investimentos, com o intuito de adquirir conhecimento sobre como planejar o orçamento pessoal.

Artigos sobre o assunto também podem lhe ajudar a criar uma estratégia para poupar e investir a longo prazo. E ainda acaba contribuindo para que você possa suprir suas necessidades atuais e a planejar o futuro.

Conheça seus gatilhos

Você é capaz de reconhecer as situações que fazem você gastar mais dinheiro que deveria, lhe deixando o resto do mês preocupado? Esta percepção é bastante importante. Lidar com o estresse financeiro também é cortar o mal pela raíz.

Evite a tentação. Escolha uma atividade alternativa em vez de fazer compras, pare de acessar lojas virtuais no seu tempo livre e acesse menos os aplicativos de delivery.

Evite as oportunidades de gastar por impulso e use o cartão de crédito apenas para emergência. Você vai perceber seu dinheiro render mais.

Assim que perceber a fatura do cartão baixando e o salário aumentando – mesmo sem receber um aumento de fato – você começará a respirar aliviado e, consequentemente, ficará menos estressado.

Pague todas as suas dívidas

Chegamos a um ponto crítico e o motivo do estresse de muita gente: as dívidas. Além da nossa própria consciência, as constantes ligações e SMS não deixam que a gente esqueça que está devendo.

Quitar esses valores, voltar a ter crédito na praça e poder colocar a cabeça no travesseiro para dormir em paz é o sonho de muita gente. O problema é que, muitas vezes, as pessoas não veem uma solução. As parcelas do acordo não cabem no orçamento.

No entanto, é preciso dar o primeiro passo. Veja como você pode se organizar para começar a pagar o que deve, sem que isso comprometa demais o orçamento:

  • anote todos os seus gastos atuais e as suas dívidas com valores corrigidos;
  • categorize suas dívidas e contas fixas, priorizando as de maior valor e as essenciais, como o pagamento das contas de casa e o IPVA;
  • organize seu orçamento anotando tudo o que recebe e poupando renda extra como férias, bônus, 13º salário ou renda extra. Se o valor que você deve for muito alto, talvez valha a pena procurar uma renda adicional;
  • converse com a sua família e informe que você vai entrar em um período de contenção de despesas para poder quitar as dívidas. Se preciso, peça ajuda, vendam itens parados e cuide para não se endividar ainda mais;
  • corte gastos desnecessários e economize nas pequenas coisas, como poupando água e energia elétrica.

Após concluir todos esses passos, a tendência é que você tenha um dinheiro extra na conta. Com ele, priorize as dívidas de maior valor e tente negociar com os credores. Pagamentos à vista costumam sair mais barato, mas se isso não é possível, junte uma boa entrada e não tenha vergonha de negociar.

Dê o primeiro passo agora mesmo!

Lidar com o estresse financeiro é importante não só para administrar melhor os gastos pessoais, serve também para aumentar a qualidade de vida. Quando você reduz sua preocupação em relação ao orçamento, pode se concentrar em outras áreas importantes para você e relaxar, já que você estará mais seguro em relação às finanças.

Além disso, manter as contas em ordem pode ser um grande aliado à sua tranquilidade em situações adversas e crises. Por isso, comece agora a pensar sobre o assunto e evite o estresse financeiro organizando suas finanças!

Quer saber mais sobre prevenir e resolver seus problemas financeiros? Veja o artigo que publicamos com algumas dicas.

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *