Muitas pessoas entendem que comprar imóveis é uma boa maneira de investir. Aliás, isso é cultural no Brasil. Muitas pessoas planejam comprar casas e apartamentos para vendê-los por um preço maior ou mesmo para ter uma renda passiva com alugueis.

Mas você sabia que é possível ter investimentos no setor imobiliário sem comprar imóveis diretamente? Uma das possibilidades é investir em FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário). Eles podem ser uma opção mais interessante para lucrar com imóveis.

E então, qual é a melhor alternativa: FIIs ou imóveis? Continue a leitura para entender as diferenças entre as duas e saber quais são as vantagens e as desvantagens de cada uma!

Quais são as diferenças de investir em FIIs e em imóveis?

Investir em FIIs é uma maneira de ter parte em um empreendimento imobiliário. Por meio dessa modalidade de investimento, você pode participar dos resultados conquistados com shoppings, galpões logísticos ou condomínios comerciais, por exemplo.

Isso porque os fundos imobiliários são uma alternativa de investimento coletivo do mercado financeiro. O fundo é composto pelo capital de diversos investidores. Logo, há recursos para adquirir empreendimentos maiores.

A negociação dos FIIs se dá por meio de cotas na bolsa de valores. Assim, quem adquire as cotas tem o direito de participar dos lucros do portfólio do fundo. O portfólio é montado e administrado por uma equipe de gestão. Logo, o investidor não tem trabalho com a burocracia ligada aos imóveis.

A partir disso, é possível perceber algumas diferenças entre o FII e o investimento direto em imóveis. Pense nisto: para comprar um imóvel, quanto dinheiro você precisaria desembolsar? Certamente, o custo das cotas é bem menor.

Sabemos que existe a possibilidade de financiá-lo, mas seria preciso considerar os juros do financiamento. Além disso, há as taxas de transferência e a exposição maior ao risco de não conseguir alugar ou vender seu imóvel.

A liquidez é outra diferença, pois é mais rápido e fácil vender as cotas do FII do que encontrar comprador para um imóvel. Contudo, vale destacar que em um fundo imobiliário você não está adquirindo imóveis em seu nome, mas somente as cotas do fundo.

Quais são as vantagens e as desvantagens de cada alternativa?

Agora que você já viu as diferenças entre as duas opções de investimento, é interessante conferir as vantagens e as desvantagens de cada uma. Isso lhe ajudará a decidir se vale mais a pena investir em fundos imobiliários ou imóveis.

Imóveis

Veja as vantagens e desvantagens de investir nessa alternativa:

Vantagens

Investir em imóveis pode ser uma maneira de obter bons lucros quando se tem dinheiro para adquiri-los à vista. Isso também depende de ter conhecimento sobre o mercado imobiliário. Afinal, o lucro acima da média está em encontrar imóveis desvalorizados e vendê-los por um preço maior.

Outra vantagem de adquirir diretamente imóveis é ter o patrimônio no seu nome. Algumas pessoas se sentem mais seguras em investir de forma direta e poder contar com o bem. Inclusive, se quiser morar nele em algum momento.

É importante destacar, contudo, que comprar um imóvel para morar não se configura como investimento. Se for do seu desejo sair de uma casa ou apartamento alugado, por exemplo, seu imóvel será um passivo — pois não estará lhe gerando renda.

Desvantagens

Em relação às desvantagens de investir em imóveis, uma das principais é o trabalho para cuidar da manutenção, relação com inquilinos, impostos etc. Em muitos casos, o proprietário precisa resolver situações como defeitos no encanamento, na parte elétrica, nos acabamentos etc.

Mais um ponto negativo pode ser a dificuldade para conseguir um inquilino ou realizar a venda da propriedade. Se o imóvel fica desocupado, você deixa de ter renda e pode ter até mesmo prejuízo. Assim, o risco de vacância ao investir diretamente em imóveis é maior.

E o que aconteceria se você precisasse rapidamente do dinheiro que está investido no imóvel? Geralmente, a venda de um bem não é tão ágil. Por isso, podemos dizer que o investimento em imóveis não oferece uma alta liquidez — sendo mais uma desvantagem relevante.

Além disso, investir de maneira lucrativa pode ser difícil para quem não é profissional do mercado imobiliário. Talvez você não consiga identificar de forma tão clara as oportunidades e também não saiba exatamente como fazer bons negócios.

FIIs

Agora, é hora de conhecer as vantagens e desvantagens dos fundos imobiliários!

Vantagens

Um dos pontos positivos de investir em FIIs é a praticidade. Como a negociação se dá na bolsa de valores, você pode comprar e vender cotas de forma simples, online — assim como ocorre com as ações.

Além disso, os custos são mais baixos. É possível aportar valores baixos. Você pode encontrar, por exemplo, uma cota de fundo sendo vendida a R$100. Outro benefício é a diminuição da burocracia. Como você viu, os imóveis são administrados por um gestor.

As formas de obter ganho são outra vantagem. É viável ter resultados positivos com o recebimento de parte do lucro obtido pelo fundo (os dividendos são isentos de IR) e também com a venda das suas cotas — caso elas se valorizem ao longo do tempo.

A liquidez também está entre as vantagens dos FIIs. Se você precisar do dinheiro que está investido neles, pode vender suas cotas rapidamente na bolsa.

Por fim, um benefício importante é a diminuição do risco pela diversificação de investimentos. Um mesmo fundo costuma investir em imóveis variados (em diferentes regiões). Assim, você não se expõe ao risco de vacância de apenas um local.

Desvantagens

Também existem algumas desvantagens no investimento em FIIs. Por exemplo, é preciso lembrar que você não está adquirindo imóveis no seu nome. O investidor tem a posse das cotas que lhe dá o direito de participar dos lucros do fundo.

Além disso, existem custos — embora sejam menores do que a compra direta de um imóvel. O principal custo é a taxa de administração, que remunera o trabalho do profissional que faz a gestão do fundo.

Há, ainda, os riscos. Por exemplo, a possibilidade de vacância dos imóveis ou o perigo de eventuais crises ou desastres que impactem nos resultados. As cotas de fundos imobiliários também podem se desvalorizar e, em caso de venda, lhe trazer prejuízo.

Agora, você tem informações para decidir se é melhor investir em FIIs ou em imóveis. Naturalmente, a melhor alternativa depende dos seus objetivos e também do seu perfil de investidor. Apesar disso, vale considerar que os fundos podem ser vistos como uma estratégia para investir com menos dinheiro e burocracia menor!

E então, o que você acha que vale mais a pena? Deixe um comentário logo abaixo e conte para nós qual das opções é mais interessante no seu caso!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *