Dentro dos desafios de se empreender, a compreensão dos indicadores do negócio está entre os fatores que podem definir o sucesso ou fracasso de uma empresa. Dentre esses indicadores utilizados na gestão empresarial, o cálculo do Ponto de Equilíbrio é um dos mais utilizados.

Analisar os números de uma empresa e entender dessa forma como está a performance dela é essencial e pode definir se ela terá vida longa. Se você deseja alçar grandes voos em seus empreendimentos, comece a entender a contabilidade e os indicadores mais importantes, como o Ponto de Equilíbrio.

Continue a leitura do artigo para entender o que é o Ponto de Equilibro e descubra como calcular e como utilizar esse indicador para melhorar as análises do seu negócio.

Boa leitura!

O que é o Ponto de Equilíbrio?

O Ponto de Equilíbrio é um indicador que mostra quando um negócio passa a gerar lucro. Considerando que toda empresa visa ter lucro, já é possível compreender que o entendimento desse indicador é primordial.

Basicamente o cálculo do Ponto de Equilíbrio envolve receitas e despesas e a relação entre essas variáveis.

Dessa forma, o Ponto de Equilibrio, chamado também de ‘Break even point’, demonstra os limites dos pontos de prejuízo e lucro na operação de uma empresa. Esse ponto é exatamente onde custos e receitas se cruzam:

Na figura abaixo é possível visualizar o Ponto de Equilíbrio: Ele se dá no ponto em que Custos e Receitas se cruzam, sendo que:

– No momento em que receitas e custos se cruzam o resultado é nulo, havendo equilíbrio entre essas duas variáveis.

– Na área a esquerda do ponto de equilibro há uma operação com Prejuízo, na qual o total de Custos é maior que o total de Receitas. Custo > Receita = Prejuízo.

– Na área a direita do ponto de equilíbrio há uma operação com Lucro, na qual as receitas ultrapassam os custos. Receita > Custos = Lucro.

Interessante, não?

Agora, para que você consiga calcular o Ponto de Equilíbrio, vamos tratar a seguir sobre os Custos e sobre a Margem de Contribuição de um produto, variáveis que devemos considerar nessa análise.

Custos Fixos e Custos Variáveis

Quando o custo de algo é calculado, deve-se levar em consideração que esses custos são compostos por itens fixos e variáveis e vamos esclarecer abaixo como identifica-los:

Custos Fixos: Os custos fixos são aqueles custos presentes independente do número de produtos fabricados e vendidos, ou de serviços prestados. Ele não cresce quando o número produzido de determinado item aumenta, porém também não reduz no caso de queda de produção.

Alguns exemplos mais comuns de cursos fixos são: aluguel do local de funcionamento da empresa e salário pagos, por exemplo.

Custos Variáveis: Já os custos variáveis são aqueles que estão ligados à produção ou prestação de serviços. São os custos que surgem de acordo com as vendas. Estão intimamente relacionados ao número produzido e crescem conforme for maior a produção.

Dessa forma, o custo total para o funcionamento de uma empresa engloba custos fixos e custos variáveis.

Custos Total = Custos Fixos + Custos Variáveis

O gráfico abaixo ilustra a composição do Custo Total, que já inicia no mínimo no valor do custo fixo e vai aumentando na proporção que o custo variável aumenta, representando a soma de ambos.

Margem de Contribuição

Além de entender os custos, é preciso saber qual a Margem de Contribuição de um produto para prosseguir com os cálculos do Ponto de Equilíbrio.

Vamos considerar que a Margem de Contribuição representa o ganho bruto que a empresa tem com a venda de um produto.

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis).

Em relação ao Preço, a margem de contribuição é: Preço – custos variáveis do produto.

Agora que você já entendeu o conceito do Break Even, como são calculados os custos, e o que representa a Margem de contribuição, entenda como realizar o cálculo desse indicador.

Como calcular o Ponto de Equilíbrio?

Após calcular a Margem de Contribuição de cada produto e após mapear os custos da operação, é possível passar ao cálculo do Ponto de Equilíbrio:

PE = Custos Fixos / Margem de contribuição

Esse cálculo é conhecido como Ponto de Equilíbrio Contábil.

Quando o cálculo inclui um lucro mínimo requerido nas operações da empresa, além dos custos fixos, deve ser incluído esse valor requerido e o cálculo é conhecido como Ponto de Equilíbrio Econômico:

PE = (Custos Fixos + Lucro Requerido) / Margem de contribuição

É importante que ao realizar o cálculo, seja feita a verificação das unidades utilizadas. Se o custo considerado é anual, e a margem de contribuição estiver em valor em relação ao preço unitário, o resultado será número de unidades vendidas por ano.

Já se a margem de contribuição tiver em um percentual do preço, representando qual % de margem a empresa trabalha em suas vendas, o resultado será a receita anual que a empresa deve alcançar.

Como analisar o resultado do cálculo do Ponto de Equilíbrio?

Com o cálculo do Ponto de Equilíbrio é possível quantificar quantas unidades devem ser vendidas para que a empresa operar com lucro. Ou seja, pague suas operações e comece a ter retorno.

O Ponto de Equilíbrio pode ser uma balança para ajudar a entender o risco do negócio. Quanto mais baixo for esse índice, menos arriscado ele será, já que será preciso vender menos para não ter prejuízo.

Da mesma forma, quanto maior o percentual da receita projetada for necessário para atingi-lo, maior o risco. Sendo necessário inclusive rever custos, buscando redução de custos fixos e aumentando a margem de contribuição dos produtos.

Na busca da saúde financeira de um negócio é importante contar com uma contabilidade que nos mostre os principais indicadores, a fim de que alcancemos as metas de lucro e rentabilidade desejados. Independentemente do tipo de negócio que você trabalhe, ter o domínio dos seus números é essencial.

Agora que você aprendeu sobre o ‘Break Even’, aprenda mais sobre gestão de empresas lendo nosso artigo sobre os principais desafios para uma boa gestão empresarial.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *