Investir na bolsa de valores é uma alternativa que atrai cada vez mais pessoas que buscam a independência financeira. Se você tem interesse no assunto, já deve ter ouvido falar da importância de estudar as empresas das quais deseja se tornar sócio. Para isso, é necessário entender o que é e fazer uma boa análise fundamentalista.

Esse método permite que o investidor obtenha informações relevantes para a tomada de decisão no momento de comprar ou vender ações. Isso aumenta as chances de conseguir maiores rendimentos, já que é possível projetar como uma empresa vai performar ao longo do tempo.

Quer saber como fazer as melhores escolhas utilizando a análise fundamentalista? Então continue a leitura e aprenda mais sobre o assunto!

O que é análise fundamentalista de ações?

Quando o assunto é comprar ações, informações são sempre bem-vindas. Afinal, é com base nelas que você pode apoiar suas decisões e aumentar as chances de ter lucro. Nesse sentido, a análise fundamentalista serve para entender a situação econômica, financeira e mercadológica de uma empresa.

A partir de um estudo mais aprofundado, o investidor pode traçar um perfil completo da companhia e do ativo de seu interesse, com o objetivo de estabelecer projeções para o futuro. Por esse motivo, a análise fundamentalista é muito utilizada por quem deseja identificar boas oportunidades de investimento no longo prazo.

Em geral, quem faz análises fundamentalistas de ativos financeiros quer buscar montar uma carteira sólida de investimentos e tem a intenção de se tornar sócio de boas empresas. O principal objetivo é participar do lucro das organizações e receber dividendos ao longo dos anos.

Quais são as características da análise fundamentalista?

A análise fundamentalista de ações é baseada em dados quantitativos e qualitativos. Por isso, é bem completa. Dessa forma, não é necessário fazer outras avaliações completares — a menos que você tenha objetivos em curto prazo.

Entre as principais características da análise de fundamentos, estão:

  • Análises micros e macroeconômicas das empresas;
  • Avaliação de informações quantitativas e qualitativas das companhias;
  • Melhor adequação aos perfis de investidores que visam o longo prazo;
  • Baseada na compra de ações para construir patrimônio ao longo do tempo.

O que a análise fundamentalista leva em consideração?

A análise fundamentalista considera tanto os fatores atuais (como o patrimônio de uma empresa) quanto as projeções em longo prazo. Por isso, antes de tomar a decisão de comprar ou vender um ativo, é necessário analisar o cenário micro e macroeconômico nos quais empresa está inserida.

É com esse estudo que o investidor pode ter uma melhor perspectiva para determinar se o valor de uma ação está acima ou abaixo do seu preço característico. Assim, é possível prever qual deve ser a direção futura da cotação e tomar uma decisão mais acertada.

Entre os principais fatores de estudo microeconômicos, podemos citar:

  • condições econômicas do setor da ação;
  • Produto Interno Bruto (PIB);
  • preço de commodities;
  • índice de desemprego;
  • insumos e bens de produção
  • gestão da empresa;
  • análise da concorrência.

São exemplos de variáveis macroeconômicas, ou seja, de condições que afetam a economia nacional e internacional e se refletem nas ações:

Quais são principais indicadores de uma boa análise de fundamentos?

Ao avaliar alguns indicadores das empresas, é possível identificar quando comprar determinada ação, qual é o valor justo desse ativo e, claro, se vale a pena se tornar sócio do negócio.

Para isso, é necessário considerar alguns indicadores econômicos que permitem encontrar as melhores oportunidades para comprar ações. Eles também permitem que você entenda qual é a percepção do mercado com relação ao papel que pretende comprar.

Mas lembre-se de que essa é uma análise múltipla. Um indicador, portanto, não deve ser avaliado de maneira isolada.

Para fazer uma boa análise fundamentalista, portanto, não deixe de considerar variáveis quantitativas, como:

  • índice P/L (preço por ação dividido pelo lucro por ação); usado para avaliar quão cara ou barata uma ação está;
  • índice Dividend Yield (dividendo por ação): usado para mensurar o retorno do ativo em relação ao rendimento pago;
  • ROE (Return On Equity): usado para medir a eficiência da empresa e se o negócio gera benefícios aos acionistas.

Estes são apenas exemplos de fundamentos que precisam ser avaliados. Há inúmeros outros indicadores que podem (e devem) fazer parte da análise de quem busca investir em ações com foco no longo prazo.

Além disso, indicadores qualitativos também devem ser analisados. Embora esses fatores não possam ser mensurados por números, eles estão diretamente relacionados com o negócio e ajudam a definir a qualidade do ativo.

Alguns exemplos de variáveis qualitativas são:

  • potencial de crescimento;
  • capacidade de gerar receita;
  • notoriedade da marca;
  • política de governança.

Como fazer uma análise fundamentalista?

Com a avaliação dos cenários macro e microeconômicos em que a empresa está inserida, já é possível ter um bom panorama da situação. Mas é importante fazer essa análise de forma estruturada, respeitando alguns passos.

Confira como agir antes de investir em ações no longo prazo:

  • analise as informações operacionais divulgadas pelas empresas;
  • confira as perspectivas do mercado financeiro sobre o papel;
  • avalie a taxa de retorno e os indicadores fundamentalistas para avaliar a saúde da empresa;
  • verifique o Dividend Yield da empresa para entender o retorno dos dividendos nos últimos 12 meses;
  • calcule os índices de liquidez para descobrir se a empresa tem potencial financeiro para quitar suas dívidas;
  • pesquise o endividamento bancário da empresa para saber se ela é capaz de gerar capital para pagar débitos, sem deixar de crescer;
  • meça o fluxo de atividades para compreender o tempo que o dinheiro leva para entrar e sair do caixa da empresa.
  • por fim, verifique se a empresa faz sentido para o seu portfólio. Se a resposta for sim e os fundamentos forem interessantes, pode valer a pena investir nas ações da companhia.

Quem busca investir em ações pode encontrar boas oportunidades no longo prazo na bolsa de valores. Para isso, no entanto, é preciso fazer uma boa análise fundamentalista.

Desta forma, será possível ter uma projeção mais sólida para o futuro de uma determinada empresa e compor um portfólio mais consistente e capaz de gerar bons retornos ao longo dos anos.

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e confira 5 dicas para analisar ações na bolsa de valores!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *