O objetivo de qualquer investidor é ter uma rentabilidade maior, acumular patrimônio e realizar sonhos. Em algumas situações, no entanto, este objetivo não é atingido – como no caso do resgate antecipado de um título, como o Tesouro Direto.

Muita gente ainda não sabe, mas quando ocorrem resgates do valor investido nos títulos do Tesouro Direto antes do seu vencimento, são grandes as chances de o investidor resgatar um montante de dinheiro inferior à quantia efetivamente investida naquela aplicação.

Quer entender mais sobre este tema e descobrir em quais situações o resgate pode ser menor que a aplicação no Tesouro Direto? Então continue lendo o artigo de hoje e informe-se sobre o assunto para não perder dinheiro com seus investimentos.

O que é o Tesouro Direto?

Antes de saber mais sobre os resgates no Tesouro e as possibilidades de perder dinheiro na hora de retirar seu investimento, é importante entender o que é o Tesouro Direto.

O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional, criado em 2002 em parceria com a BMF&F Bovespa, com o objetivo de facilitar e permitir o acesso de pessoas físicas à compra e venda dos títulos públicos federais.

Antes de 2002, pessoas físicas podiam investir no Tesouro Direto somente de forma indireta, por meio de fundos de renda fixa. Além disso, as corretoras costumavam cobrar altas taxas de administração, sobretudo, em operações de baixo valor. Assim, os títulos públicos eram considerados de baixíssima atratividade.

O Programa permitiu que as transações passassem a ser feitas por meio da internet e democratizou as aplicações — com apenas R$ 30 é possível começar a investir.  Dessa forma, o Tesouro Direto tem o importante papel de diversificar e proporcionar ao investidor iniciante opções de aplicação com alta rentabilidade, diferentes prazos de resgate e fluxos de remuneração.

Clique aqui e saiba como investir nos títulos do Tesouro sem burocracia e sem precisar pagar a taxa de 0,3% ao ano cobrada pela plataforma do programa Tesouro Direto.

Quando o resgate pode ser menor que a aplicação no Tesouro Direto?

Existem, basicamente, três situações nas quais o resgate do dinheiro investido pode ser menor que a aplicação do investidor no título do Tesouro. Conheça estas situações:

1. Quando se faz aplicação no Tesouro Selic

Uma das situações nas quais você pode sacar menos dinheiro do que investiu pode ocorrer quando se aplica no Tesouro Selic.

Quando você faz uma compra no programa Tesouro Direto, é possível verificar que existem os preços de compra, os preços de venda e o spread desta operação – que é a diferença entre o preço de compra e o preço de venda. Logo, uma pessoa que compra um título no Tesouro Selic faz este investimento aplicando um determinado valor, enquanto quem já tem o título Selic busca vender este título antes do vencimento por um preço menor do que o preço de compra – podendo perder dinheiro nesta transação.

Além disso, é importante lembrar quando se faz uma aplicação no Tesouro, o título fica disponível após a liquidação cotado um pouco abaixo da taxa inicial – uma vez que a ideia é que este valor suba ao longo do tempo. Porém, se o investidor precisar sacar esta quantia investida poucos dias após a aplicação, é bastante possível que o saque seja menor que o valor de compra.

2. Quando se aplica em Título pré-fixado

Quando você aplica em um título pré-fixado, que já tem uma taxa definida – que é garantida quando se leva o título até o vencimento, também é possível perder dinheiro em caso de resgate antecipado. Isso porque, do momento da compra até o vencimento, o valor do título pode oscilar.

A garantia da taxa ocorre, portanto, somente no caso em que aquele título pré-fixado adquirido é levada até o vencimento. E, no meio do caminho, este investimento pode subir – mais ou menos que a rentabilidade proporcional ao ano – ou até mesmo ter desvalorização, o que poderia resultar em um resgate antecipado negativo em relação ao valor aplicado.

Por isso, ao investir em um título pré-fixado, tenha sempre como objetivo levar este título até o vencimento – garantindo a rentabilidade do investimento e evitando perdas de dinheiro desnecessárias.

3. Quando se adquire Tesouro IPCA+

Quando se aplica no título do Tesouro IPCA+, é possível fazer a aquisição com a taxa definida – como, por exemplo, IPCA + 4% ao ano – e essa taxa será garantida no vencimento. Mas, assim como na opção anterior, podem acontecer oscilações até a data de vencimento deste título.

Por isso, quando o investidor decide vender o título antes do prazo, pode acabar resgatando menos do que o valor inicial aplicado. Para evitar perder dinheiro no Tesouro Direto, portanto, procure comprar um título sempre com a perspectiva de levar o investimento até o vencimento.

Se você quiser saber mais sobre estas oscilações que ocorrem no Tesouro Direto, basta clicar aqui e assistir a um vídeo que produzi há algum tempo para o canal do Blog de Valor no YouTube.

Como fugir de resgates antecipados?

Para evitar prejuízos com seus investimentos no Tesouro Direto o melhor a se fazer é garantir uma reserva de emergência. Com uma quantia à disposição para situações emergenciais você evita resgates antecipados dos seus títulos e, consequentemente, reduz – e muito – as chances de perder dinheiro com seus investimentos nos títulos de Tesouro.

Além disso, vale a pena sempre alinhar os prazos das suas aplicações com suas necessidades de curto, médio e longo prazo. Desta forma, você conseguirá investir melhor e não precisará resgatar antecipadamente o investimento – correndo riscos de perder dinheiro e de ver sua rentabilidade desaparecer.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *