Quem investe no mercado acionário deve saber que existem diversos tipos de ordem na bolsa de valores. E, dependendo do seu objetivo, uma delas pode ser mais presente no seu dia a dia na comparação com outras.

Mas, por que existem tantas ordens para iniciar as operações na bolsa? Para que elas servem? Saber as diferenças entre elas lhe ajudará a preencher e enviar sua ordem de compra ou venda corretamente.

Acompanhe a leitura do post para conhecer os tipos de ordem existentes na bolsa de valores e saiba quais delas são mais adequadas para você!

O que é uma ordem na bolsa?

Antes de conhecer os principais tipos de ordem na bolsa de valores é importante entender o que é, na prática, uma ordem neste mercado.

Uma ordem é uma instrução que o investidor envia, remota e digitalmente, para que seja executada a compra ou a venda de um determinado ativo.

O investidor faz o envio da ordem para o seu banco de investimentos por meio do home broker para que ele envie essa solicitação para a B3. Também é possível executar a ordem por meio de terceiros, como seu assessor de investimentos.

Entenda a seguir que são as ordens de compra e a de venda no ambiente de bolsa de valores:

Ordem de compra

A ordem de compra se relaciona com o processo de aquisição de um determinado ativo (como uma Ação) ou derivativo.

Ela costuma ser realizada pelo investidor, por intermédio da instituição pela qual investe, com as especificações que ele exigiu para a ordem.

Ordem de venda

Por outro lado, a ordem de venda é utilizada para vender um ativo ou derivativo. A venda tem um processo semelhante ao de compra. Contudo, o objetivo será se desfazer do que você possui na carteira – ou fazer uma venda a descoberto, por exemplo, na especulação.

Quais são os tipos de ordens existentes na bolsa?

Agora que você já sabe o que é uma ordem na bolsa e entendeu a ordem de compra e venda, vale a pena conhecer as diferentes ordens existentes na bolsa de valores.

Confira!

Ordem limitada

A ordem limitada estabelece um valor limite de investimento. Assim, a compra ocorre apenas quando o valor do ativo atinge um preço menor ou igual ao que foi estipulado. O intuito dela é dar um maior controle sobre os preços de execução.

Normalmente, é utilizada por traders que operam no modo Swing Trade. Esses especuladores costumam esperar para adquirir uma ação por um preço menor que o valor de mercado e vendê-la por um valor maior.

Nesse caso, deve-se estar atento à data de validade da ordem. Isso porque não existe garantia de que ela seja executada, seja pelo ativo não ter atingido o preço limite ou por existir ordens de outras pessoas pelo mesmo preço que foram executadas anteriormente.

Por exemplo, imagine que um ativo esteja R$100 e você coloque uma ordem a R$80. Ela será cumprida somente se o preço cair para R$80 ou ficar abaixo disso.

Ordem a mercado

Essa ordem pode ser mais agressiva. Ou seja, ela agride a melhor oferta do book de ofertas e é executada no melhor preço do momento.

Neste caso, o investidor precisa especificar qual ativo ou derivativo deseja e a quantidade que almeja adquirir. Isso ajuda a trazer mais agilidade para a operação.

Ao concluí-la, o banco de investimentos precisa executá-la pelo preço que está em vigor no mercado.

Por exemplo, se a melhor oferta de venda de uma Ação estiver a R$20, em uma ordem de compra a mercado, o pedido é enviado ao vendedor que oferecer o melhor preço. Ela pode ser utilizada por quem investe no longo prazo.

Ordem stop móvel

A ordem stop móvel ocorre de forma automática e independe da sua presença. Ela funciona conforme uma posição de mercado que esteja aberta. Isso significa que o valor pode ser alterado conforme a ordem movimenta em favor da posição do investidor ou especulador.

Para entendê-la, pense na definição do preço de disparo e o do preço-limite de um ativo. Sendo assim, se o valor da Ação atingir o preço de disparo, por exemplo, a venda ocorrerá pelo preço-limite.

Ordem stop loss

A ordem stop loss permite ao investidor ter a opção de programar um preço como parâmetro previamente. Assim, quando ele é atingido, a ordem é disparada.

Nesse tipo de ordem na bolsa de valores, deve ser inserido o preço limite para a compra ou a venda e pode ser utilizada com o intuito de evitar perdas.

Para vender um ativo desse modo, basta programar o stop a um preço menor que o da última cotação. Dessa forma, caso ele caia e chegue ao valor da sua ordem, o banco de investimento a emite para a bolsa e realiza a venda automaticamente.

Em relação a uma compra, é preciso programar o stop a um preço maior que o da última cotação. Dessa maneira, caso ele suba, o banco envia uma ordem para a bolsa e realiza a compra automaticamente.

Ordem casada

Esse tipo é composto por ordens de compra e venda e permite a execução apenas quando essas operações são feitas juntas. Ela costuma ser comum em momentos em que a prática de troca de posições do investidor ou especulador é frequente.

O trader ou investidor tem a opção de escolher qual delas deseja que seja executada primeiro. Para isso, a outra deve ser feita logo em seguida. Um exemplo simples seria emitir a ordem de compra de uma Ação por R$50 e a venda do mesmo papel por R$60.

Ordem start

Enquanto a stop loss determina um limite para a perda, a start visa enviar a ordem quando o valor do ativo atingir um preço igual ou maior do que o preço do disparo, o qual é programado pelo próprio investidor.

Por exemplo, imagine que um ativo esteja a R$40 e você estabelece a ordem start com disparo a R$50 e o preço limite a R$55. Se ele subir para R$50, a compra será efetuada até o valor de R$55.

O ponto positivo dela é que, se o valor da ação continuar caindo, a sua ordem não será enviada e pode ser cancelada. Assim, você conseguirá fazer uma nova oferta até que o preço desejado aconteça.

Ordem discricionária

Nesse tipo, o investidor designa um profissional para fazer o lançamento de ordens da sua carteira de Ações ou de outros ativos e derivativos na bolsa de valores. É o caso, por exemplo, quando você solicita ao seu assessor de investimento a execução de uma ordem.

Vale destacar que essas ordens serão dadas apenas com expressa ordem e anuência do investidor.

Como você viu neste post, existem diversos tipos de ordem na bolsa de valores – que vão além das ordens de compra e venda. Por isso, se você investe ou deseja investir ou especular na bolsa, é importante conhecê-las.

Continue aprendendo cada vez mais! Aproveite e entenda a diferença entre especular e investir no mercado financeiro!

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *