O mal do século que arruína sua vida financeira

* Por Aline Porto – site: http://pensonofuturo.com.br/

Já reparou que hoje em dia há muito mais gente endividada do que no tempo dos nossos pais?

E já parou para se perguntar porquê isso acontece? Porque as pessoas vivem mais endividadas hoje, sendo que possuem (teoricamente) um poder de compra maior que a 50 anos atrás?

Se você nunca havia parado para pensar nisso, agora deve estar se perguntando:

Mas porque diabos eu vivo hoje pior que meus pais e avós, se eu ganho mais que eles quando tinham minha idade?

A resposta é simples:

Seus pais ERAM, eles não PARECIAM. Vivemos hoje num mundo em que “o máximo” é o PARECER.

Explico:

Ninguém se importa se você é de fato um executivo. Se você andar com um terno de marca, um sapato caro e falar o tempo todo em um smartphone de última geração, você PARECERÁ um executivo. E é isso que importa.

Os outros não querem saber se você deve 4x o valor do seu patrimônio. Se você anda num carro de luxo e PARECE ter dinheiro, é o que importa.

Você não vive mais preocupado com o que você É, vivemos preocupados com o que PARECEMOS ser, com o que os OUTROS acham que somos.

Ai está o maior erro.

Você PRECISA mesmo andar com um carro que custe um apartamento popular?

Você precisa mesmo ter um celular que custe mais que os eletrodomésticos de uma cozinha inteira?

Precisa ter 30 pares de sapato no guarda-roupas? E uma bolsa combinando com cada um deles?

Seu filho precisa mesmo comprar um Tablet por ano, um celular e um vídeo-game? Estudar numa escola que tenha 3 funcionárias para cada criança e um heliporto?

Se você tem mais de 30 anos, foi criado sem nada disso. E sua infância foi super divertida. Não foi?

Seu pai andava de Monza (se ele tivesse um bom padrão de vida), sem 11 air bags, sem DVD no banco traseiro e sem 150 cavalos de potência. E ele se locomovia muito bem. Ou não?

As pessoas se preocupavam mais com o que elas ERAM e não com o que elas PARECIAM SER.

A preocupação do seus pais era ter uma reserva para pagar sua faculdade, para ter uma casa própria e para ter mais tranquilidade na aposentadoria.

Eles estavam preocupados com o que você SERIA, e não com o que você ia PARECER.

Os principais valores eram: Honestidade, persistência, humildade e realismo.

Quais valores você pratica em sua vida hoje?

A frase que melhor define é a seguinte:

“Status é comprar coisas que você não quer, com o dinheiro que você não tem, a fim de mostrar para gente que você não gosta, uma pessoa que você não é.” (Geraldo Eustáquio de Souza).

Respondida a pergunta do início deste texto?

Não estou dizendo aqui que você deveria retroagir, voltar a rachar lenha pro fogão, não ter celular, costurar suas roupas em casa e privar seu filho de um vídeo-game.

Mas você precisa fazer isso dentro das SUAS possibilidades. Viver literalmente “com a corda no pescoço” só para mostrar aos outros que você tem um carro de luxo não é a decisão mais inteligente a ser tomada…

Reflita, analise, reveja seus conceitos e seus padrões.

“Parecer Ser” é o maior vilão da sua saúde financeira.
Abraço,

Aline Porto


Aline Porto é a criadora do blog Penso no Futuro, que fala sobre educação financeira. Conheça o perfil completo de Aline Porto, clique aqui!

Autor

Aline Porto

Aline Porto é a criadora do blog "Penso no Futuro", que fala sobre educação financeira. Veja aqui o perfil completo

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Dani Edson    

    Excelente artigo, concordo plenamente! Muitas pessoas hoje querem parecer o que não são.

    E vou além: quem é rico mesmo não precisa mostrar pra ninguém..

  2. Ronaldo Santana    

    É sem sombra de dúvidas um mal que ocorre com muitas pessoas. Era da ostentação!

  3. Leonardo Rocha    

    Realmente as pessoas querem parecer. Até porque parecer é muito mais fácil do que ser, e além da era da ostentação é a era da preguiça e de evitar a todo custo a dor, fracasso, dificuldades (coisas que nos fazem crescer e aprender)

    Fora isso tem toda a questão do marketing envolvido nessa cultura do consumismo e do parecer “bacana e ostentador”.

    Antes de gastar se pergunte se você realmente precisa daquilo, ou se é so um desejo. Se for desejo ou estiver em dúvida recomendo esperar 30 dias antes de efetuar a compra. Se ainda tiver vontade depois de 30 dias ok. Mas é bem provável que o desejo suma, por ter sido algo impulsivo.

  4. Isaac Rodrigues    

    Quem é rico não anda falando e nem faz questão de mostrar não.. imagine eu anunciando que sou rico podendo me tornar foco de bandidos e ate de um sequestro.. algumas pessoas andam fazendo isso pra mostrar autoridade e sendo autoridade recebem algum beneficio.. um que não acho valido.

  5. Isaac    

    Pessoas que deixam de reforma parede da sua casa por exemplo pra compra o iphone 5 tipo assim kkk
    eu sempre falei esse tipo de coisa pra minha esposa, que não importa a marca quando formos embora não vamos levar nada rsrs

  6. Isaac Rodrigues    

    O ser humano por natureza ja gosta de coisa boa, mais algumas pessoas gostam de apelar, e camisa, tenis, sandalia de marca ate cueca de marca rsrs mais nem todo mundo e assim.. conheço um medico que anda de fusquinha pra não da na vista que ele tem dinheiro kkk então é uma questão bem relativa na minha opinião.

  7. yuri    

    Tudo errado. Quando li 11 Air bags, já perdeu a credibilidade. O dólar era mais baixo e não havia bolivarianismo, apenas isso.

  8. diogo costa    

    Gostei do artigo! Acho que o verdadeiro rico bem educado financeiramente não ostenta…hj essa cultura da ostentação tem criado comportamentos medíocres e ridículos nas pessoas…haja vista o que a televisão exibe frequentemente! Educação financeira é a salvação!

  9. Reinaldo    

    Excelente!

    Minha missão atual é tentar convencer minha esposa a vendermos o carro e não comprarmos mais nenhum, e a abdicarmos da sacrossanta “casa própria”. Em termos de “status” (arghhh!), péssimas medidas. Em termos financeiros, medidas fundamentais.

    Não vai ser fácil, mas continuo tentando.

  10. marketing multinivel hinode    

    O Brasileiro hoje so tem um ativo financeiro, não tem educação financeira e trabalha somente para pagar um que gasta no mês.. incrível como eles não pensão que se tivessem vários ativos financeiros poderia sobrar dinheiro e dessa forma acumular capital se tornando mas prósperos e bem sucedidos.

    1. Li    

      Casa própria não é ostentação, é necessidade, melhor pagar a prestação da casa, que perder dinheiro todo mês com aluguel. Melhor ter a casa própria que viver de favor e ser importunado na casa dos outros. Uma coisa é comprar uma casa ou apt próprio que é necessidade, outra é querer comprar uma mansão ou ou um apt com condomínio muito caro, que não justifica um valor tão alto, só se o valor se justificar por segurança do local e etc…
      Não confunda ostentação com necessidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *