Uma das dúvidas que surgem quando uma pessoa decide dividir a vida com alguém é se vale a pena ou não abrir conta conjunta. Entre os detalhes da relação e o planejamento de comemorações de casamento, questões práticas como essa se colocam entre as decisões da vida a dois.

De fato, a organização financeira de um casal exige bastante cuidado,. Afinal, são muitas questões para combinar, considerando que as duas pessoas vinham controlando os orçamentos de forma separada até então. É preciso pontuar que o casal pode ter formas muito diversas de lidar com o dinheiro.

Diante disso, será vantajoso abrir conta conjunta? Veja como ela funciona e saiba o que decidir!

O que é conta conjunta?

Esse termo faz referência a uma conta bancária que é movimentada por mais de uma pessoa. Não são apenas casais que utilizam uma conta conjunta — ela também pode ser aberta por três ou mais titulares. Assim, a opção é útil para pais e filhos, sócios e outros grupos interessados nessa facilidade.

Para entender melhor o funcionamento da conta conjunta precisamos falar dos dois tipos dela: a conta solidária e a conta não solidária (ou simples).

O primeiro caso autoriza todos os titulares a realizarem transações financeiras sem a necessidade da autorização das outras pessoas. Ou seja, cada membro da conta conjunta pode fazer pagamentos, transferências e saques normalmente.

Por sua vez, conta não solidária exige que qualquer movimentação financeira seja autorizada por todos os titulares. Assim, mesmo transações simples — como saques ou transferências — precisam passar pela anuência de todos que participam da conta. Por suas características, é comum que casais optem pela conta solidária, enquanto sócios prefiram a segunda opção.

De maneira geral, uma conta conjunta funciona de maneira muito semelhante a uma individual. É possível abrir tanto conta-corrente quanto poupança e os titulares recebem cartões para fazer as movimentações financeiras.

Mas, antes de abrir uma conta, é importante saber mais detalhes no banco e esclarecer todas as dúvidas.

Como solicitar uma conta conjunta?

Quem deseja abrir uma conta conjunta deve se informar sobre os requisitos e organizar a documentação para ser entregue ao banco. A abertura desse tipo de conta é bem parecida com a modalidade individual — com a diferença de que será preciso que todos os titulares compareçam à instituição.

Em geral, são solicitados os seguintes documentos de todos que vão entrar na conta: comprovante de renda, comprovante de residência, CPF e documento de identidade com foto (pode ser o RG, a carteira de motorista ou outras opções aceitas por cada local). A partir disso, basta escolher o tipo de conta que você quer e ir ao banco com os demais titulares.

É possível encerrar a conta?

Assim como no momento da abertura, é preciso que todos os titulares estejam presentes para solicitar o encerramento da conta conjunta. Além de assinar a finalização, o casal vai precisar decidir o que fazer com o saldo disponível (ou com eventuais dívidas que estejam ligadas ao nome dos dois naquela instituição financeira).

Existe, ainda, a opção de manter a conta e excluir algum titular para transformá-la na modalidade individual. Da mesma forma, é preciso que todos estejam de acordo e assinem um documento autorizando essa mudança no banco.

Em caso de falecimento de algum dos titulares, é preciso entrar em contato com o banco para saber como proceder. Em contas do tipo solidária os outros titulares podem fazer movimentações financeiras, entretanto, é importante ficar atento às questões legais relacionadas ao processo de inventário.

Afinal, vale a pena abrir uma conta conjunta?

Agora que você já tem as informações básicas sobre o funcionamento de uma conta conjunta, fica mais fácil decidir se vale a pena abrir uma. Não há uma resposta geral sobre isso para todos os casais. Afinal, a escolha de como as finanças serão organizadas depende muito do contexto de cada relação.

Para ajudá-lo a ter ainda mais dados que baseiem sua decisão, vamos apresentar algumas vantagens e desvantagens relacionadas a abrir conta conjunta.

Vantagens

Um dos principais benefícios que uma conta conjunta proporciona para o casal é a maior facilidade para organizar as finanças a dois. Como o dinheiro fica em um mesmo local e ambos têm acesso a todas as movimentações financeiras, é mais prático coordenar os pagamentos, controlar os gastos e montar reservas.

Dessa forma, muitas pessoas veem como algo positivo a possibilidade de fazer gastos e investimentos comuns. Para os casais que não tem interesse em compartilhar todas as suas finanças, uma ideia é abrir uma conta conjunta e continuar também com suas contas individuais. Assim, é possível estipular um valor que cada um deve depositar para fazerem os planos a dois.

Mas isso reduziria outra vantagem relevante da conta conjunta: a diminuição das taxas bancárias. Quando duas pessoas têm essa conta, e encerram as que tinham antes, passam a pagar apenas uma cesta de serviço no banco. Fora isso, também vão gastar menos quando for preciso pagar outras taxas administrativas ou de investimento.

Por fim, tomar essa decisão é uma estratégia interessante para estimular o compromisso do casal com as suas finanças. Já que a conta é monitorada pelos dois, o acompanhamento da disciplina em poupar dinheiro para a realização dos sonhos em comum se torna mais presente.

Desvantagens

Abrir uma conta conjunta é uma decisão muito séria. Dependendo do perfil do casal, as vantagens que citamos podem se tornam aspectos negativos. Por exemplo, se os titulares sempre valorizaram muito sua autonomia financeira, pode ser difícil abrir mão da privacidade e ter todas as suas movimentações passando pelo crivo de outra pessoa.

Com isso, é fundamental que o casal reflita se essa transparência em relação ao dinheiro vai trazer praticidade para o dia a dia e contribuir com a realização de sonhos ou, ao contrário, tem potencial para gerar brigas e distanciar os dois.

De qualquer forma, a relação de confiança é indispensável quando duas ou mais pessoas pensam em abrir uma conta conjunta. Quem opta por essa modalidade deve saber que todos os ganhos e gastos serão compartilhados — inclusive, eventuais problemas financeiros.

Agora você se sente pronto para responder se vale a pena abrir conta conjunta? Nosso artigo deixou claro que essa é uma escolha pessoal e depende das necessidades e interesses de cada casal. Pondere as informações que demos e converse bastante com seu cônjuge para decidir sobre isso.

Que tal ler mais dicas financeiras? Confira nosso artigo sobre como organizar o orçamento familiar!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *