Os investimentos no exterior têm sido bastante procurados nos últimos tempos. Afinal, diante de crises, é comum que muitos investidores busquem diversificar sua carteira fora do país. Entre as alternativas disponíveis estão os Bonds.

Apesar de serem títulos emitidos no exterior, seu funcionamento é semelhante a alguns investimentos que existem no Brasil. Conhecê-los, no entanto, é fundamental se você deseja se expor a outros mercados.

Então aproveite que este artigo para saber o que são e como funcionam os Bonds e descubra se essa opção é interessante para você!

O que são bonds?

Os bonds são títulos de dívidas que podem ser emitidos por um país ou por uma instituição privada. Quando a emissora é uma nação, o título também é chamado de treasury bonds. Por outro lado, as empresas emitem o corporate bonds.

Normalmente, eles funcionam de forma semelhante a um produto de renda fixa. Assim, o investidor adquire o título e pode receber um rendimento de acordo com o que foi negociado antecipadamente com o emissor.

A maioria dos bonds costumam ser emitidos por países, e podem ser semelhantes aos títulos públicos do Tesouro Nacional. Por outro lado, os corporate bonds se assemelham muito às Debêntures.

Por se tratar de uma modalidade considerada mais segura do que o investimento em Ações, costuma atrair principalmente os investidores conservadores.

Para que servem os bonds?

Quando um país ou uma empresa precisa angariar recursos para financiar suas operações, eles podem recorrer a diversas alternativas. Uma delas é o mercado financeiro – uma alternativa mais barata na comparação com empréstimos.

Mas, por que companhias e países precisam captar recursos?

Em relação às nações, elas precisam de dinheiro para manter sua máquina pública funcionando. Além disso, costumam captar recursos para financiamento da dívida externa.

Por isso, diversos países emitem Bonds com essa finalidade. Dentre eles, estão os Estados Unidos e países da Europa, como Alemanha e Reino Unido. O Brasil também emite esses títulos de dívida – os global bonds.

Já no caso das empresas, elas também precisam de recursos para crescer no mercado, financiar projetos, etc. Assim, elas podem, além de lançar Ações na bolsa de valores, emitir Bonds para atrair investidores.

Como funcionam esses títulos de dívida?

Os Bonds são lançados no mercado com uma data de vencimento. Além disso, possuem uma taxa de remuneração pré-fixada, como você observou. Contudo, isso não é uma regra e podem existir bonds pós-fixados.

Sendo assim, em uma data específica, o valor do título acrescido da remuneração é devolvido ao investidor. Dessa forma, o Bond deixa de existir e a relação entre as partes é encerrada.

Contudo, nem sempre o investidor recebe seus rendimentos de uma única vez. Os juros podem ser pagos de forma semestral, e a amortização do montante a pagar pode ocorrer poucos anos antes do vencimento, com pagamentos fracionados do investido a cada semestre, por exemplo.

Importante ressaltar que os Bonds não funcionam sempre da mesma maneira. Cada país ou empresa pode remunerar de forma diferente. Os juros também variam. Por isso, é importante conhecer as alternativas disponíveis nos mercados do exterior.

Quais são os tipos de Bonds?

Se esses títulos chamam sua atenção, é preciso entender em mais detalhes os principais tipos de Bonds disponíveis no mercado internacional.

Confira:

Treasury Bonds

Você viu que cada país tem especificidades ao emitir Bonds. Contudo, os Treasury Bonds mais conhecidos do mundo são emitidos pelos Estados Unidos. Conheça suas principais características:

  • Treasury bills (T-bills): possui vencimento em até 1 ano;
  • Treasury notes (T-notes): com vencimento entre 2 e 10 anos;
  • Treasury Bonds (T-bonds): tem vencimento entre 10 e 30 anos.

Lembre-se de que os Bonds emitidos por outros países têm nomes, remuneração e prazo de vencimentos distintos. Na Europa, por exemplo, existem os Eurobonds, que também não são iguais entre os países do bloco.

Corporate bonds

Os títulos emitidos pelas empresas podem ter inúmeros tipos. Alguns deles são:

  • Coupon: pagam juros semestral ou anualmente;
  • Zero-coupon: remuneram apenas no vencimento;
  • Convertible: possuem a alternativa de converter o título em Ações da empresa (como as Debêntures Conversíveis).

Quais são as vantagens de investir em Bonds?

Agora você já sabe o que é e como funcionam os Bonds. Mas quais as vantagens dessa alternativa de investimento?

A primeira delas é a possibilidade de investir em companhias estrangeiras ou em outros países. Para aqueles que desejam expor parte do seu capital ao mercado internacional, mas não querem investir no mercado de Ações, esta pode ser uma alternativa.

Além de uma maior segurança na comparação com ativos de maior risco e da exposição internacional, a possibilidade de obter rendimentos antes do vencimento do título também pode chamar atenção dos investidores.

Quais são os riscos de investir em Bonds?

Contudo, apesar de muitos associarem a renda fixa com segurança, os Bonds têm riscos que precisam ser considerados.

Os títulos emitidos por Governos internacionais podem apresentar maior credibilidade, pois os emissores costumam ser bons pagadores.  Por exemplo, no Brasil, os títulos do Tesouro, mesmo não contando com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), são considerados bastante seguros.

Entretanto, os Bonds emitidos por empresas têm maior risco de calote. Por isso, é preciso avaliar com cuidado as possibilidades antes de fazer seus aportes.

Como investir em Bonds?

Se os títulos fizerem sentido para o seu portfólio, saiba que é possível investir em Bonds internacionais sem precisar sair do país. Alguns desses títulos podem ser encontrados na bolsa de valores ou no mercado de balcão.

Além disso, existem Fundos de Índices (ETFs) negociados no mercado nacional que podem ser atrelados a estes títulos de dívida. Neste caso, a negociação ocorre no âmbito da bolsa de valores e toda a operação é realizada em reais.

Você pode também investir nos Bonds brasileiros, que são emitidos pelo Tesouro Nacional. Eles são encontrados na plataforma do Tesouro Direto, tanto na modalidade pré-fixada quanto pós-fixada.

Como você viu, os Bonds são títulos de dívida emitidos por Governos ou empresas internacionais. E, se fizerem sentido para sua carteira, podem ser alternativas interessantes para diversificação de portfólio.

Quer entender mais sobre investimentos fora do país? Então leia o post: Investir no exterior – como funciona?

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *