Os global bonds não são tão conhecidos como os outros investimentos. Inclusive, entre as modalidades internacionais, eles são bem menos comentados que os BDRs e outros produtos.

Apesar disso, vale a pena conhecê-los, pois ter mais de uma alternativa de investimentos é sempre interessante e pode ajudar a ampliar as oportunidades, diversificando ainda mais a carteira de investimentos.

Acompanhe a leitura, entende o que são os global bonds e descubra suas características!

O que são os global bonds?

Global bonds são títulos da dívida externa que o Brasil possui. São negociados internacionalmente e podem ser emitidos tanto por uma nação quanto por uma grande organização que deseja angariar recursos financeiros. Sendo assim, este investimento pode ser outra alternativa para investir no exterior.

Os bonds costumam ser mais emitidos por países. Quando são criados por uma nação, geralmente são utilizados para pagar e equilibrar as contas do governo. Eles podem ser adquiridos por bancos, governos de outros países ou até grandes empresas.

Falando especificamente do Brasil, esses títulos de dívidas globais são emitidos pelo Tesouro Nacional. Depois de criados, são colocados à disposição para serem negociados no mercado financeiro internacional.

Sendo assim, os investidores que compram os bonds globais brasileiros estão, na verdade, emprestando dinheiro para o Governo Federal. Os recursos arrecadados são utilizados para o pagamento das dívidas que o país tem no exterior.

Como funcionam os global bonds?

É preciso entender que todo país possui uma dívida externa com outras nações. Dessa forma, eles podem emitir títulos para conseguir fundos e quitá-las. Sendo assim, a nação emite esses títulos globais para o mercado internacional, arrecada o que precisa e em troca, paga uma remuneração aos investidores.

Além do Brasil, diversos outros países emitem bonds. Podem ser citados como exemplo os Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha. No entanto, as regras de emissão, remuneração e funcionamento se diferem entre os países.

Sobre o seu funcionamento, ele se assemelha a outros títulos conhecidos que são pré-fixados. Ou seja, quando o investidor adquire um global bond, ele saberá o quanto receberá com o investimento.

A remuneração é realizada na data de vencimento do título e o investidor recebe o valor investido somado aos juros previamente acordados. Logo, trata-se de um título de renda fixa.

Como investir em global bonds?

Antigamente, os investidores que quisessem investir em global bonds precisavam comprar cotas de fundos de investimentos. Atualmente, pode ser possível adquirir esses títulos por meio da plataforma do Tesouro Direto ou através de corretoras e bancos de investimento.

Ainda é possível investir nesses títulos da dívida externa por meio dos fundos. Normalmente, os fundos de global bonds são considerados de risco moderado. Além disso, costumam ser do tipo multimercado. O risco varia conforme a credibilidade do país emissor no cenário internacional.

Os fatores que influenciam na rentabilidade desses títulos são: câmbio entre a moeda nacional e a estrangeira, desempenho dos papéis no exterior e os juros pagos pelos títulos.

Atualmente, alguns fundos de Global Bonds que são encontrados no mercado são:

  • 03 Global Bonds Fundos de Investimento Multimercado Crédito Provado Investimento no Exterior;
  • AF Global Bonds Fundo de Investimento Renda Fixa Crédito Provado Investimento no Exterior.

Inclusive, o investimento em bonds por meio dos fundos costuma ser o mais conhecido entre os investidores que adquirem esses títulos de dívida externa.

Quais as vantagens de investir em global bonds?

A principal vantagem desse investimento é que ele é acessível. Ou seja, é um produto que não demanda grandes quantias para investir. Logo, aqueles que não desejam alocar grandes quantidades poderão apostar nessas bonds sem desembolsar muito.

Quais as desvantagens dos global bonds?

Assim como os outros títulos do Tesouro, há o risco de crédito, que é aquele que o investidor corre de não receber seu pagamento. Ademais, há riscos de atraso ou suspensão do pagamento.  O risco de mercado também precisa ser considerado.

Além desses aspectos, o pagamento de tributos é outro fator a ser observado. O Global bonds tem incidência do Imposto de Renda. A cobrança segue a seguinte ordem:

  • Alíquota de 22,5% para investimentos em até 180 dias;
  • Alíquota de 20,0% para aplicações de 181 dias ou mais.

Além do IR, outro tributo que pode ser cobrado é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Ele é cobrado somente dos investidores que sacarem seus recursos financeiros em até 30 dias. Após esse tempo, a alíquota é zerada e não há mais a incidência do IOF.

Lembrando também que quem investe nos fundos de bonds estão também sujeitos ao pagamento de eventuais taxas que podem ser cobradas, como a taxa de administração, por exemplo. Logo, esse é um fator que deve ser verificado com antecedência no momento em que for investir.

Qual a diferença entre global bonds, euro bonds e brady bonds?

Além das global bonds, existem outros títulos de dívida externa. Conheça alguns abaixo.

Euro bonds

Enquanto as global bonds são emitidas em qualquer mercado e podem ser expedidas na mesma moeda do país em que está sendo negociada, as eurobonds são emitidas no mercado europeu e são negociadas em euro.

Importante mencionar que as global bonds podem ser encontradas em diversos países com moedas distintas. Porém, são mais comuns no mercado americano. Por outro lado, as eurobonds se restringem apenas ao mercado onde o euro é utilizado.

Brady Bonds

As Brady bonds são títulos da dívida externa dos países considerados emergentes. Foram criados com o intuito de ajudar as nações que apresentam dificuldades de pagamento.

Esse produto foi desenvolvido a partir do Plano Brady, estratégia elaborada por Nicholas Brady, então secretário do Tesouro dos Estados Unidos. O objetivo era oferecer um plano para os países emergentes – principalmente os situados na América Latina – para que consigam honrar suas obrigações internacionais.

Vale a pena investir nos global bonds?

Os global bonds podem ser interessante para aqueles que desejam investir no exterior e ter títulos relacionados a investimentos internacionais. Também pode ser uma alternativa para quem deseja diversificar a carteira com um produto diferente.

Os fundos de global bonds, por terem risco moderado (normalmente), podem ser interessante para investidores arrojados e até alguns moderados.

Entretanto, isso não impede que o investidor mais conservador avalie os riscos, estude a fundo o investimento e invista. Isso porque as global bonds são semelhantes a outros investimentos de renda fixa, como mencionado.

No entanto, o mais importante é considerar sempre o perfil de investidor e os objetivos financeiros antes de investir em qualquer modalidade disponível no mercado!

Se interessou pela ideia de investir fora do Brasil? Aproveite e confira 5 investimentos no exterior que podem atrair sua atenção!   

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *