Os brasileiros querem sair do vermelho e quitar dívidas em 2020. Pelo menos foi isso que descobriu um estudo realizado por um aplicativo de celular.

A informação foi divulgada em uma matéria no Globo News e trouxe outro dado interessante: quando o ano de 2019 começou, a meta de quitar as dívidas estava em sexto lugar. O que fez o objetivo de acabar com o endividamento pular para a primeira posição? Uma explicação está no número de inadimplentes no Brasil.

Ainda de acordo com a reportagem, segundo a Serasa Experience, em outubro de 2019 a quantidade de devedores bateu o recorde de 63,4 milhões de pessoas. Com tantos endividados, conseguimos entender a mudança de prioridade nas metas.

Caso você se enquadre no que foi dito até aqui e também queira melhorar a situação financeira no novo ano, este artigo é para você. Continue a leitura e confira algumas dicas que separamos sobre como negociar dívidas e sair do vermelho no ano que se inicia!

Negociar dívidas: por onde começar?

Muitas pessoas que querem deixar de ser endividadas entram em desespero ao finalmente se darem conta que precisam salvar a vida financeira, normalmente toda bagunçada. Geralmente, para colocar ordem na casa, resolvem dedicar-se a planilhas de orçamento.

Algumas pessoas chegam a passar horas planejando e fazendo projeções. O problema é que, em grande parte das situações, conforme os meses passam, o indivíduo se sente frustrado porque nada muda. Parece que todo o tempo tentando organizar-se foi perdido, pois as finanças continuam desorganizadas e não sobra dinheiro nem para pensar em como negociar dívidas.

Para dar um jeito nisso e ser mais realista na hora de fazer projeções, a melhor maneira é começar anotando seus gastos diários. Desse modo você conseguirá ter uma noção muito melhor de como anda seu comportamento financeiro.

Com gastos anotados, separe-os em três categorias:

  1. Despesas comuns: aquelas que todo mês você sabe que terá, como supermercado, gasolina, enfim, tudo que é necessário para sobrevivência.
  2. Parcelamentos: para negociar suas dívidas você precisa saber todas as compras parceladas que possui.
  3. Financiamentos e empréstimos: aqui entram desde os financiamentos mais longos – como de uma casa, por exemplo – até os de curto prazo. O mesmo vale para os empréstimos: não deixe nada de fora.

O próximo passo para dar início ao processo de como negociar dívidas e sair do vermelho é o de organizar-se financeiramente de modo efetivo. Para isso, duas estratégias podem ser adotadas, das quais falaremos a seguir.

Ataque os parcelamentos

Coloque em mente que quando um parcelamento da sua lista se encerra, um novo fluxo de dinheiro é gerado, permitindo que você vá aos poucos libertando-se de dívidas. Para isso, claro, é importante que não sejam criados novos débitos com parcelamentos.

Uma vez que as parcelas forem eliminadas e essa parte das finanças pessoais estiver nos trilhos, utilize o dinheiro que sobra para antecipar empréstimos e financiamentos.

Antecipe empréstimos e financiamentos

Assim como ocorreu com os parcelamentos, cada empréstimo/financiamento encerrado é um dinheiro a mais que fica à sua disposição. Na hora de negociar dívidas envolvendo esses dois itens, é importante pensar em uma estratégia de negociação. Alguns pontos a serem analisados:

  • Verifique com o credor qual será a porcentagem de desconto sobre a dívida total;
  • Questione com relação ao pagamento a vista (terá um desconto maior?);
  • No caso de dívidas no cartão de crédito, verifique com o banco qual negociação pode ser feita com relação às condições de pagamento e aos valores.

Além disso, sempre que for negociar dívidas peça uma proposta por escrito. Ainda com relação aos empréstimos e financiamentos, é importante ficar atento a outro ponto que trazemos a seguir.

Como negociar dívidas: escolha a dívida certa

Uma vez que você tem toda sua listagem de gastos separados por categorias e está atuando para quitar suas dívidas, é fundamental manter a cabeça no lugar.

Se tiver com um alto endividamento, o qual inclui mais de uma dívida, opte por começar por aquela que mais aumenta por conta dos juros à medida que o tempo passa, ou pela que possa trazer mais problemas (como dívidas no cheque especial, no cartão de crédito, com serviços básicos de luz, água, etc.).

Finanças pessoais é sobre planejamento, e isso inclui inclusive planejar por quais dívidas começar a quitar. Dependendo do caso, escolher uma dívida errada pode fazer com que o processo de organização financeira demore um pouco mais.

Lembre-se também que existe algo crucial sobre como negociar dívidas: em hipótese alguma caia no erro de fazer uma nova dívida. Por isso, quando for negociá-las, faça de acordo com suas possibilidades.

Dívidas quitadas, e agora?

No estudo citado no início do artigo, para 2020 os brasileiros querem, após pagar suas dívidas, viajar nas férias, aprender inglês e guardar dinheiro.

Para que você realmente consiga manter um equilíbrio financeiro, nossa sugestão é que pule para o quarto item. Assim, além de sair do status de endividado você irá tornar-se um poupador.

Com o hábito de guardar dinheiro você verá que todas as outras metas da sua lista irão tornar-se realidade de forma saudável. Ou seja, sem que para isso você tenha que começar um outro ano preocupando-se em como negociar dívidas.

Portanto, ao sair do vermelho comece a investir. Uma boa dica é construir sua reserva de emergência, a qual será necessária para os imprevistos normais que temos eventualmente (e a reserva é igualmente fundamental para você não cair no erro de recomeçar uma bola de neve com parcelamentos, dívidas e financiamentos no caso de atravessar algum problema).

Concluindo

Saber como negociar dívidas e agir para sair do vermelho pode dar um certo trabalho, mas com toda certeza o resultado será compensador. Visando conseguir cumprir com essa meta, faça um passo de cada vez. Resumindo:

  • Elabore um orçamento verdadeiro, com projeções que realmente sejam reais (adote a dica de começar anotando seus gastos e conhecer seus hábitos de consumo),
  • Elimine completamente parcelamentos;
  • Quite as dívidas com empréstimos e financiamentos;
  • Comece a poupar e transforme isso num hábito.

E já que falamos de metas para 2020 e em como negociar dívidas, que tal adotar 7 hábitos que podem influenciar sua vida financeira? Caso queira saber mais, não deixe de ler este post.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *