Os dados referentes às operações financeiras realizadas no país são registrados e armazenados no Sisbacen. Trata-se de um sistema eletrônico do Banco Central (Bacen), que tem como finalidade centralizar esse volume de informações.

Por meio da tecnologia, todo o Sistema Financeiro Nacional fica conectado, o que ajuda a coibir fraudes. Outra questão importante é que o sistema traz mais transparência entre as instituições financeiras e os clientes.

Se você tem interesse em entender como é o funcionamento do Sisbacen e sua importância, gostará de conferir as informações desde conteúdo. Boa leitura!

O que é o Sisbacen?

O Banco Central foi criado em 1964 para organizar as medidas de política cambial e autorizar instituições que queiram atuar no mercado financeiro do país. Ele tem, ainda, a função de intervir no mercado, realizando a compra e venda de moeda estrangeira para regular as taxas de câmbio.

Cumpre também um papel fiscalizador em relação a conduta de gestores e instituições. Por isso, o Bacen pode aplicar multas, sanções e suspensões. Para realizar todo esse trabalho, ele precisa do registro das informações financeiras realizadas.

Está aí a importância do Sisbacen — um sistema atrelado ao Bacen que reúne os dados (financeiros e bancários) realizados no país. Ele é um conjunto de tecnologias que faz a coleta, armazenamento e o compartilhamento das informações para a rede bancária e financeira.

Como funciona esse sistema do Banco Central?

Todas as atividades de crédito entre clientes e instituições, como os bancos, ficam registradas no SCR (Sistema de Informação de Crédito do Banco Central). Trata-se de uma ferramenta dentro do Sisbacen.

Dessa maneira, qualquer operação — empréstimos, investimentos ou financiamentos, por exemplo — fica armazenada nesse sistema. Aqui, entram dados como o cumprimento ou não de contratos assinados.

Nesse sentido, é possível saber se a pessoa está pagando ou não em dia, sendo uma forma de barrar uma inadimplência no futuro. Além do Sisbacen SCR, existe outra ferramenta: o CCS. Ele é o cadastro de clientes no sistema financeiro.

Nesse caso, não aparecem valores de operações, apenas os dados de usuários e as instituições financeiras e bancárias aos quais estão atrelados. São informados o número de conta, agência, data de abertura e encerramento do relacionamento.

Mas como essas informações são enviadas? Isso fica a cargo das instituições financeiras, que repassam as operações todos os meses, mantendo o sistema sempre atualizado.

O objetivo é que o Bacen centralize todos esses dados, garantindo agilidade e segurança na hora de concessão de crédito. É uma forma também de trabalhar para que o sistema financeiro não entre em colapso, uma estratégia para prevenir crises.

Qual a importância do Sisbacen?

O primeiro ponto fundamental do sistema é trazer transparência para as relações financeiras. Isso porque uma das funções do Sisbacen é justamente disponibilizar para pessoas físicas, jurídicas e instituições as informações que armazena.

Mas tudo é feito seguindo políticas de sigilo e com autorização do interessado. Com isso, um banco, antes de conceder um empréstimo, pode ter ciência da capacidade de pagamento de um cliente — inclusive com a quantia que já está comprometida em seu orçamento.

Sendo assim, as informações contribuem para a tomada de decisões das instituições. Como elas passam a ter acesso a esses dados, é viável fazer uma análise antes da liberação de crédito para pessoas físicas ou jurídicas.

Assim, a importância do Sisbacen está em oferecer mais segurança nesse tipo de operação. É possível prevenir a inadimplência a partir da avaliação dos riscos.

Além disso, outro ponto relevante é que a tecnologia possibilita que o Banco Central possa cumprir sua missão institucional. Ou seja, permite acompanhar o movimento do mercado e a fiscalizar os agentes, o que contribui para evitar fraudes.

Dessa maneira, o Sisbacen ajuda a garantir o bom funcionamento do sistema bancário e financeiro do Brasil. Inclusive, o Bacen utiliza os dados para realizar suas atividades — intervir na compra e venda de moeda estrangeira, por exemplo.

É possível ter acesso a essas informações financeiras?

Você pode ter acesso aos dados do Sisbacen, caso seja do seu interesse. Para solicitar os dados, basta ser brasileiro, ter CPF ou CNPJ e entrar no site desse sistema do Banco Central.

Para isso, é preciso realizar o cadastro no sistema. O procedimento varia de acordo com cada perfil de usuário. No caso de pessoa física, jurídica, MEI ou empresário individual, é preciso fazer o cadastramento no Registrato.

Nesse ambiente, o cidadão pode acompanhar:

  • indicação das suas chaves Pix cadastradas;
  • dados sobre empréstimos e financiamentos;
  • lista dos bancos e financeiras em que a pessoa tem conta ou faz alguma atividade, como investimento;
  • informações a respeito de operações de câmbio e transferências internacionais.

O acesso pode ser feito por meio do sistema do Banco Central ou no site e aplicativo do banco da pessoa física ou jurídica. No caso de instituições, é preciso ter a autorização prévia da pessoa para consultar as informações dos clientes.

Esse é um ponto que serve de alerta para quem pretende comprar qualquer produto financeiro ou assinar algum contrato com instituições. Em muitos casos, você está autorizando o acesso às suas informações financeiras que constam no sistema do Banco Central.

Por que conhecer o Sisbacen?

As informações do sistema podem ser muito importantes para você. O cidadão que não tiver pendências, como falta de pagamento a um empréstimo ou cartão, por exemplo, pode se beneficiar desses dados para obter uma liberação de crédito junto a uma instituição financeira.

Além disso, como vimos, o Sisbacen é fundamental para o funcionamento do Banco Central e, consequentemente, de todo o sistema financeiro no Brasil. Logo, vale a pena conhecer detalhes sobre ele e saber com sua atuação impacta no dia a dia dos cidadãos.

Como você pode perceber, o Sisbacen é um conjunto de tecnologias que integra as informações financeiras realizadas no país. Assim, ele auxilia o Bacen a monitorar o comportamento do mercado e oferece às instituições uma ferramenta de avaliação de riscos antes de fazer a concessão de créditos.

Achou útil este conteúdo? Aproveite e entenda em detalhes o que é e o que faz o Banco Central do Brasil!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *