A reserva de oportunidade pode ser considerada tão importante quanto uma reserva de emergência. Apesar de ser menos comentada, vale a pena conhecê-la e elaborar a sua.

No decorrer de nossas vidas, podemos nos deparar com situações únicas e oportunidades que não podemos perder. E é nesse contexto que se faz importante uma reserva para essa finalidade.

Que tal ter recursos reservados para não deixar passar ocasiões imperdíveis quando o assunto é investir seu dinheiro? Então continue a leitura, entenda o que é a reserva de oportunidade e veja como fazer a sua!

O que é reserva de oportunidade?

Reserva de oportunidade é uma quantia que uma pessoa pode ter para aproveitar oportunidades quando elas aparecem. Pode ser utilizada tanto em ocasiões da vida quanto para aproveitar determinadas alternativas no mercado financeiro.

No âmbito dos investimentos, essas oportunidades podem ser, por exemplo, um momento no qual determinados ativos estão sendo vendidos a um preço atraente. Ou seja, quando o investidor percebe que um papel está sendo negociado a um valor inferior ao seu valor intrínseco.

Outro exemplo é quando surge a oportunidade de investir em produtos atrativos, como na renda fixa. Por exemplo, em uma emissão de debêntures ou de um Certificado de Depósito Bancário (CDB) com rendimentos atraentes.

Em relação a outras situações, ela pode ser muito útil se você deseja concretizar uma ideia de negócio que necessite de investimento inicial.

Também pode ser utilizada para compra de um imóvel, automóvel, cursos, intercâmbio para aprendizado de idiomas, viver fora do país, dentre inúmeras outras possibilidades que se mostrem imperdíveis em um determinado momento.

Isso significa que ela é subjetiva, pois cada um tem objetivos distintos, um estilo de vida próprio e um entendimento do que é ou não uma oportunidade para si.

A reserva de oportunidade deve ser alcançada com um planejamento, e costuma ser utilizada principalmente por investidores que desejam aproveitar boas ocasiões no mercado financeiro.

O que é reserva de emergência?

Muitos podem confundir a reserva de oportunidade com a reserva de emergência. Por isso, é essencial entender bem o que é essa última.

A reserva de emergência é um recurso financeiro que fica reservado – e aplicado preferencialmente em modalidades seguras e líquidas do mercado financeiro – que é utilizado para imprevistos emergenciais.

Essas urgências podem ser: perda do emprego, um acidente grave, reforma urgente na casa, perda de móveis por enchentes, extravio de celular ou laptop e diversas situações de caso fortuito ou força maior que podem acometer a todos.

Mesmo que você seja organizado e muito cuidadoso, acidentes e imprevistos acontecem. Inclusive, muitos deles podem estar além do nosso controle, como perder pertences importantes em uma catástrofe natural, por exemplo.

Por isso é importante ter a reserva de emergência. Ela serve justamente para lhe auxiliar nesses momentos difíceis. De tão importante que é, costuma ser indicada como o primeiro investimento que uma pessoa precisa realizar. Além disso, quando é utilizada, é primordial que seja montada novamente.

O ideal é que o investidor tenha pelo menos 6 meses do seu custo de vida coberto. Se tiver 12 meses ou mais, melhor ainda, pois possibilita uma maior margem de planejamento.

Esse investimento deve ser feito objetivando liquidez e segurança. Logo, alternativas mais conservadoras e que permitem um resgate rápido, como o Tesouro SELIC e os Fundos de Renda Fixa Baixa Duração Soberano/Grau de Investimento (conhecidos como Fundos DI, que é a nomenclatura antiga), por exemplo, costumam ser as mais indicadas.

Mas então, qual a diferença entre reserva de oportunidade e reserva de emergência?

Lendo a explicação de cada uma é possível ver a diferença entre elas, certo? Mesmo assim, é importante deixar claro outras distinções importantes.

Enquanto a reserva de emergência deve ser tratada como obrigatória, a outra pode ser utilizada por quem deseja aproveitar oportunidades ao longo da vida ou em uma determinada situação específica.

Lembre-se também que, se você não tem nenhuma delas, comece fazendo sua reserva de emergência. A de oportunidade pode ser formada depois, inclusive enquanto você realiza seus investimentos focados no médio e longo prazo.

Por fim, é importante não confundir o que é emergência e o que é oportunidade. Quem costuma comprar por impulso pode ter esses conceitos sem clareza e até misturá-los em situações de consumo.

Onde investir para criar uma reserva de oportunidade?

Agora que você entendeu o que é uma reserva de oportunidade e a diferença dela para a de emergência, este é o momento de descobrir onde deixar esses recursos financeiros.

Oportunidades podem ser momentâneas e exigir que o investidor decida rápido se deseja ou não aproveitá-las. Sendo assim, as alternativas do mercado podem seguir as mesmas regras para elaborar uma reserva de emergência.

Isso significa que elas precisam ter boa liquidez, para os recursos serem resgatados na ocasião pretendida. Ainda, pode ser feita em aplicações mais conservadoras, como algumas de renda fixa.

Dessa forma, pode ser utilizado o Tesouro SELIC, os CDBs com liquidez diária, dentre outros. Quanto ao valor, você mesmo pode estipular o quanto acredita ser necessário.

Se você já investe e ainda não pensou em uma reserva de oportunidade, ela pode ser benéfica em momentos imperdíveis. Portanto, se você a achou interessante, considere planejar a sua para utilizar em ocasiões diferenciadas!

Que tal aprender a organizar melhor o seu dinheiro? Aproveite e conheça o método 50-30-20 para organizar o seu orçamento!

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *