As ações de tecnologia têm chamado a atenção dos investidores — especialmente devido ao crescimento desses ativos no mercado norte-americano. Entretanto, é preciso conhecer essa oportunidade a fundo antes de saber se elas são uma boa alternativa de investimento.

Para decidir se faz sentido incluir o setor de tecnologia na carteira é essencial avaliar aspectos relevantes, como riscos e potencial de rentabilidade. Além disso, é preciso considerar os critérios específicos da sua estratégia para saber se as ações se adéquam a eles.

E então? Quer saber se as ações de tecnologia são uma boa alternativa para o seu portfólio? Continue lendo e veja o que avaliar para responder essa pergunta!

O que considerar antes de tomar uma decisão de investimento?

A decisão de investir requer um estudo prévio do mercado, para entender melhor os ativos. Quem ainda não é investidor pode ter mais dificuldade, enquanto os investidores mais experientes já podem ter uma estratégia mais consolidadas.

Entretanto, um investimento novo será sempre um campo inexplorado. Assim, é preciso buscar conhecimento sobre as possibilidades para tomar uma boa decisão. E existem diversos critérios importantes nesse momento.

Confira o que deve ser considerado!

Perfil de investidor

Um dos passos mais importantes para quem busca sucesso nos investimentos é saber qual é o seu perfil de investidor. Entre conservador, moderado ou arrojado, há diferenças em relação à tolerância menor ou maior de exposição aos riscos.

O conservador é aquele que prioriza a segurança em suas escolhas. Assim, provavelmente ações de tecnologia não o atraiam tanto. Já o investidor moderado equilibra segurança e risco, enquanto o arrojado tem maior abertura ao risco — em busca de potencial de ganhos.

Objetivos e preferências pessoais

Além do seu perfil, é importante pensar nos objetivos que você possui com os investimentos, considerando os prazos. Se você tem como meta o custeio do ensino superior dos filhos menores ou a compra de uma casa, por exemplo, esses são planos de longo prazo.

A escolha desses investimentos será diferente de planos mais imediatos, quando é preciso contar com o dinheiro a qualquer momento. Por isso, é importante alinhar os seus objetivos quando for fazer escolhas para sua carteira.

Conhecimento das alternativas de investimento

O mercado financeiro apresenta diversas alternativas, entre oportunidades de renda fixa e de renda variável. Assim, é preciso buscar conhecimento sobre elas para encontrar as mais alinhadas aos seus objetivos e perfil.

Além disso, é importante diversificar a carteira para equilibrar melhor os riscos e aumentar as possibilidades de rendimento. A diversificação pode ajudar, inclusive, a identificar se vale a pena ter na carteira uma determinada ação.

Quais são as principais ações de tecnologia no Brasil?

Agora você sabe o que avaliar antes de tomar uma decisão de investimento. Mas, acerca do setor de tecnologia, o que é preciso considerar?

Primeiramente, vale saber que o Brasil tem um setor de tecnologia ainda em expansão, mas é possível encontrar diversas companhias desse segmento sendo negociadas na bolsa.

Conheça exemplos:

  • Totvs (TOTS3) – empresa de softwares;
  • Méliuz (CASH3) – empresa de cashback;
  • Enjoei (ENJU3) – plataforma de brechós;
  • Locaweb (LWSA3) – empresa de hospedagem de sites;
  • Linx (LINX3) – empresa de softwares;
  • Positivo (POSI3) – fabricante de computadores;
  • Sinqia (SQIA3) – empresa de softwares e tecnologia para sistemas financeiros;
  • Valid Certificadora Digital (VLID3) – empresa de certificação digital;
  • Neogrid (NGRD3) – empresa de software com foco em SCM – Supply Chain Management;
  • Intelbras (INTB3) – fabricante de produtos e soluções em segurança, comunicação, redes e energia;
  • Bemobi Mobile (BMOB3) – distribuição e monetização de aplicativos, games e serviços digitais móveis;
  • Mosaico (MOSI3) – empresa de comércio eletrônico.

 

É válido ficar atento, ainda, a outras empresas de tecnologia que estão frequentemente fazendo seu IPO — oferta pública inicial na bolsa de valores brasileira. Afinal, com a expansão do setor no mercado, a abertura de capital traz novas oportunidades para investidores interessados na área.

Além das ações brasileiras, vale destacar que é possível investir em tecnologia também em outros países. E você pode fazer isso sem sair do Brasil — por meio de fundos internacionais, BDRs (brazilian depositary receipt) ou ETFs (Exchange traded fund), por exemplo.

Conhecer as oportunidades que o mercado oferece pode ser bastante interessante. Para escolher de maneira adequada, no entanto, é preciso ir além.

Afinal, investir em ações de tecnologia é uma boa estratégia?

Escolher em que ativos investir, principalmente quando se trata de ações, não é uma decisão simples. E a resposta deve vir de você, baseado nos fatores que viu até aqui.

Então, afinal, as ações de tecnologia se adéquam à sua estratégia? Para ajudar, considere algumas vantagens e riscos a seguir!

Tendências de mercado

O setor de tecnologia é uma tendência no mercado mundial nos últimos anos. Ele oferece soluções cada vez mais robustas às mais diversas áreas econômicas. Alguns exemplos são os sites de compras virtuais, as plataformas financeiras e os aplicativos de entrega.

Além disso, há uma forte impulsionamento das atividades tecnológicas ligadas a serviços que demandam, por exemplo:

  • segurança da informação;
  • desenvolvimento de software;
  • serviços na nuvem;
  • aplicações mais modernas;
  • desenvolvimento de aplicativos;
  • dispositivos smart;
  • DaaS – dispositivo como serviços;
  • SaaS – software como serviço.

Potencial de valorização

As empresas de tecnologia geralmente são negócios de crescimento rápido e escalável. Assim, investir nelas pode trazer grande potencial de valorização e, portanto, de lucros na bolsa. Se esse for o seu objetivo, pode ser um setor que vale a pena.

Riscos

Em contrapartida, é indispensável entender que o maior potencial de valorização das empresas tem relação também com os maiores riscos. Afinal, pequenos negócios de tecnologia podem crescer, mas também podem enfrentar problemas e até mesmo fechar.

Além disso, há o risco ligado ao aspecto volátil da tecnologia, a julgar por muitas soluções e ferramentas que se tornam obsoletas em pouco tempo. Assim, se você tem interesse no setor, precisa saber como avaliar as empresas.

Uma análise fundamentalista ajudará a entender se a companhia é de qualidade e apresenta resiliência para se manter no mercado. Lembre-se, ainda, de que focar no longo prazo pode ajudar a diluir os riscos e a volatilidade.

Como você viu, a decisão de investir ou não em ações de tecnologia é individual. É preciso avaliar as oportunidades e os riscos — além das suas características pessoais — para saber se elas são, de fato, uma boa escolha para a sua carteira de investimentos.

Gostou do post? Que tal aproveitar para conhecer 5 dos grandes investidores mundiais e se inspirar em suas estratégias de composição da carteira?

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *