O dólar tem uma grande relevância para as relações comerciais, influenciando boa parte dos produtos que consumimos. A moeda americana é fundamental também para o mercado financeiro, sendo sua cotação acompanhada com interesse por investidores e especuladores.

No entanto, quando se trata de dólar paralelo, é preciso ter cuidado. Afinal, negociá-lo pode enquadrar a pessoa em alguns crimes. Neste post, você entenderá os motivos disso, e ainda saberá como dolarizar a sua carteira de investimentos de maneira legal.

Continue a leitura e entenda como funciona o dólar paralelo!

O que é dólar paralelo?

O dólar paralelo é o dólar adquirido por fora do sistema financeiro. Ele não é negociado por bancos e casas de câmbio, mas sim por doleiros que fornecem dólares em espécie. Visto que não há a participação de uma instituição financeira, também não há taxas de câmbio.

Assim, a cotação do dólar é combinada entre os envolvidos, e a transação pode resultar em vantagem financeira. Mas, para você entender melhor o dólar paralelo, vale a pena contrastá-lo com outros tipos de dólar.

O dólar comercial é a cotação da moeda americana com base no real. Quanto ao dólar turismo, é aquele adquirido por quem pretende viajar para o exterior. Geralmente, o valor é disponibilizado em espécie ou em cartões pré-pagos, o que torna esse dólar mais caro em comparação com o comercial.

Estes dois se referem a cotações oficiais da moeda americana, e ambos são regulados pelo Banco Central. A negociação do dólar paralelo, por sua vez, é feita de maneira clandestina. Esse dólar em espécie fornecido por doleiros geralmente está associado a assaltos e contrabando.

Ele também pode estar relacionado ao tráfico de armas e de drogas. Por tudo isso, quem compra ou vende o dólar paralelo pode ser enquadrado em crimes como sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Como o dólar paralelo surgiu?

O câmbio paralelo surgiu na década de 1990, quando os brasileiros estavam lidando com dois grandes problemas: a inflação e o bloqueio de valores depositados na poupança. As pessoas estavam procurando proteger seu patrimônio, e viram no dólar uma solução.

Quem comprasse dólares conseguia a proteção que queria. No entanto, houve pessoas que começaram a comprar dólares que chegavam ao país de modo não oficial. Desse modo, elas incorriam em crimes como os que citamos no tópico anterior.

Como se expor ao dólar?

Quem planeja viajar para fora do Brasil ou tem obrigações em moeda internacional pode se sentir tentado a comprar dólar paralelo. Afinal, seu preço é menor em comparação com o dólar turismo. No entanto, como já ficou claro até agora neste post, essa não é a atitude legal.

Você estaria exposto a problemas e até mesmo à prisão. Sendo assim, vale a pena saber como comprar dólar de maneira legalizada ou mesmo fazer investimentos que o exponham à moeda. Para isso, é possível recorrer à bolsa brasileira.

A seguir, veja algumas das alternativas disponíveis!

Dólar em espécie

Quem precisa do dólar físico pode comprar o papel moeda de forma legalizada em casas de câmbio. Aqui, não estamos nos referindo ao dólar paralelo, mas sim a uma maneira regulamentada de fazer essa aquisição. Nesse caso, é preciso recorrer a instituições autorizadas pelo Banco Central.

Essa geralmente é a alternativa escolhida por quem planeja viajar para o exterior. Para alguém que quer especular ou proteger sua carteira de investimentos, por outro lado, há alternativas mais vantajosas. Afinal, a compra da moeda não constitui investimento financeiro.

Mas lembre-se de que, na prática, não há investimento na compra do papel moeda. Afinal, não há um aporte ou uma rentabilidade projetada.

Fundos cambiais

Os fundos cambiais são uma das maneiras de expor a sua carteira de investimentos ao dólar. Eles alocam boa parte dos recursos investidos em ativos atrelados a moedas estrangeiras.

É importante notar que tais fundos não investem diretamente em outras moedas, mas sim em ativos e derivativos referenciados nelas. Também pode haver parte da alocação em títulos e operações de renda fixa como forma de fazer o manejo do risco.

Com os fundos cambiais, você pode proteger o seu poder de compra da desvalorização do real em relação ao dólar. Já pessoas que não estejam planejando compromissos com a moeda americana podem usar os fundos cambiais para lucrar com a valorização das cotas.

Contratos futuros de dólar

Os contratos futuros são derivativos negociados no mercado futuro. Com o dólar futuro, você também pode proteger seu poder de compra em relação ao dólar. Além disso, é possível especular para tentar lucrar com a valorização da moeda americana.

Ao se posicionar em um contrato futuro de dólar, você pode receber diariamente o lucro referente à variação positiva da moeda. Mas, nos dias em que a oscilação for negativa, é feito o débito referente a essa variação.

Por que investir em dólar?

Até aqui você viu formas de se expor à moeda americana. Mas é importante ter em mente que o câmbio não é exatamente um investimento. As alternativas que você acabou de ver podem servir em operações de hedge (proteção) ou especulação.

No entanto, se o seu objetivo é fazer o dinheiro render, outras alternativas podem ser mais atrativas. Há investimentos tanto de renda fixa quanto de renda variável que podem proporcionar um lucro melhor, e vale a pena informar-se sobre elas.

Como exemplos negociados sem sair do Brasil, podemos citar BDRs (certificados de investimentos internacionais) e ETFs (fundos de índice). Os fundos de investimentos internacionais também incluem ativos com exposição a mercados externos.

Nesses casos, além da exposição ao dólar, há potencial valorização dos investimentos. Assim, podem ser interessantes se o seu objetivo é ter exposição cambial ao mesmo tempo em que busca rentabilidade com títulos de renda fixa ou ativos de renda variável.

Neste artigo, você soube o que é o dólar paralelo e viu que se trata de uma prática ilegal. Qualquer negociação de câmbio ou investimento em dólar deve ser feito por meio do sistema financeiro, sob a regulação do Banco Central e de outras instituições brasileiras!

Agora que conheceu algumas maneiras de investir em dólar, aproveite para ler sobre outro ativo que pode ser usado para hedge: o ouro!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *