A maioria da população brasileira não sabe como lidar com dinheiro. Em razão disso, cometem diversos erros financeiros. Seus pais não ficam de fora desse grupo. Como são nossa primeira referência em relação à educação financeira, tendemos a enxergar a forma com que eles manipulam o dinheiro como a correta.

Apesar de quererem nosso bem e tentarem nos transmitir o que eles achavam que era certo, sinto-lhe informar: eles fizeram praticamente tudo errado a vida inteira. Em geral, quase tudo o que lhe ensinaram sobre finanças, atualmente, não se aplica mais.

Assim, as chances de cometermos os mesmos erros que eles é grande, pois há determinada atitudes que tomamos sem nem sequer pensar a respeito. Mas se você quiser prosperar financeiramente, deverá abrir os olhos para não administrar suas finanças da maneira que eles pensam ser a mais correta.

Quer saber se você comete os mesmos erros financeiros que seus pais? Então leia o artigo e descubra!

1. Compre um imóvel

Antigamente, a população crescia muito e a procura por imóveis era maior. Quem comprava imóveis e revendia, conseguia lucrar um bom valor, pois, dependendo do lugar, o imóvel comprado valorizava muito.

Por isso, é muito comum ouvir de nossos pais e avós que “imóvel é investimento, só valoriza”. Esse tipo de negócio ainda é visto como o melhor de todos os investimentos pela maioria, tanto que até as gerações mais novas acreditam nesse “mito” que tanto se repete.

E possível encontrar, por exemplo, idosos que acreditam que quem vive de aluguel não está bem financeiramente e quem tem casa própria é visto como um alguém que “venceu na vida”.  Outras sugestões que dão são: “comprar um imóvel para viver de renda de aluguel” e “nunca venda meu imóvel quando eu morrer, ele vai valorizar muito”.

Cuidado para não cair nessa história! Se você quiser enriquecer, não pode comprar imóvel sem planejamento! Tenha em mente de que isso não é um investimento, tão somente um passivo que visa o bem-estar familiar.

Os tempos mudaram, as gerações anteriores não estão atualizadas em relação ao mercado imobiliário. Infelizmente, imóveis não valorizam como a maioria imagina. Com o tempo, desvalorizam e, mesmo se for comprado para alugar, muitas vezes o valor recebido de aluguel não consegue suprir gastos com impostos e manutenção.

Quer entender melhor sobre o assunto? Dê uma olhada nesses artigos:

2. Estudar para ter um bom emprego

Assim como a maioria das pessoas, nossos pais passaram a vida trabalhando para os outros. Isso não é errado e nem ruim, mas crescemos com a ideia de que um dia iremos arrumar um emprego para nos sustentar.

Por isso, a maioria repete os mesmos passos das gerações anteriores: arruma um emprego, vive de uma única fonte de renda e, caso fique desempregado, deve procurar outro emprego. Essa é a realidade de grande parte da população.

Muitos não foram incentivados a empreender ou fazer o que realmente gostam. Mas foram ensinados que um dia iriam ter que trabalhar, por meio de um emprego formal.

Para piorar, diziam que as pessoas precisavam estudar para “encontrar um bom emprego”. Mas para isso, deveriam estudar áreas que “dão dinheiro”, e não necessariamente o que possuem aptidão ou vontade de desempenhar.

Assim, muitos escolheram fazer cursos simplesmente visando um bom emprego uma boa remuneração.

Se você acreditava nisso, pare agora mesmo. Aprenda sobre empreendedorismo e saiba que devemos estudar para a vida e não somente visando bons salários. Estude o que você gosta e saiba ganhar dinheiro com isso e não ligue se disserem coisas do tipo “nessa área você vai morrer de fome”. Não é a área em si que traz dinheiro ou não, mas sim a disponibilidade ou as grandes ideias e iniciativas.

Quer dar uma passo nos estudos do empreendedorismo? Confira abaixo:

3. Trabalhar é mais importante

Se por um lado muitos diziam que deve-se estudar para conseguir um bom emprego e trabalhar em um bom lugar, por outro, haviam os que diziam que estudar não é essencial, o que mais importa mesmo é trabalhar.

Essa realidade ainda existe em muitos lugares. Várias pessoas deixam de estudar por inúmeros motivos, seja para ajudar a família, cuidar dos irmãos mais novos ou simplesmente porque acreditavam que estudo não trazia dinheiro para a casa.

Quem não conhece uma pessoa que passou por isso e não conseguiu terminar os estudos?

Nesse caso, vale as mesmas lições do tópico anterior. Uma pessoa que deseja empreender ou ter uma boa estabilidade financeira investindo ou trabalhando, jamais deve parar de aprender.

Por isso, estude o que você gosta, leia sobre tópicos diversos e sobre áreas que são promissoras, que podem lhe gerar lucro.

4. Guardar dinheiro

Das pessoas mais antigas, a maioria aprende que o dinheiro deve ser guardado na poupança. Os mais receosos, por terem ficado com trauma de perder dinheiro em governos anteriores,  sacam todo o dinheiro e guardam-no em casa.

Responda a seguinte pergunta: você já ouviu dos seus pais alguma coisa sobre investir seu dinheiro? Se você respondeu sim, então é um dos poucos privilegiados. A maioria aprende que deve-se guardar dinheiro na poupança e não a respeito de meios para fazê-lo render.

Esse pensamento de guardar o dinheiro na poupança é tão antigo que hoje em dia é o “investimento” favorito dos brasileiros. Se você não quiser apenas acumular dinheiro numa conta, mas fazê-lo trabalhar para você, invista em educação financeira!

5. Não planejar a aposentadoria

Você sabia que cerca de 47% dos aposentados continuam trabalhando para complementar a renda? Infelizmente, grande parte dos idosos vive apenas com a aposentadoria do INSS e o valor que recebem é pouco para seu sustento.

Esse cenário poderia ser diferente caso tivessem planejado a aposentadoria. A realidade que vemos é a seguinte: muitos idosos tendo que trabalhar para se manter sem poder aproveitar a terceira idade como gostariam.

Para não correr esse risco, planeje seu futuro, aprenda a investir e aproveite a terceira idade do modo que imagina.

6. Não falar sobre finanças

Há quem tenha crescido em uma família na qual falar de finanças era assunto proibido, quase um tabu. Ninguém falava quanto ganhava, quanto tinha de dívidas e a palavra dinheiro era vista como algo negativo.

Para alguns, falar o quanto ganha, por exemplo, é considerado algo muito pessoal. Cerca de 58% dos brasileiros não gostam de cuidar das finanças pessoais, então quem dirá falar sobre isso, não é mesmo?

Quem pretende ter abundância financeira precisa cuidar das finanças pessoais e não ter medo de falar sobre isso. Talvez essa falta de conversa possa ser o motivo de muitas pessoas não gostarem de lidar com esse encargo, muito menos saberem o que fazer com seus rendimentos.

Quem não fala sobre dinheiro, não aprende e não consegue lidar adequadamente com as finanças.

7. Ter a mente fechada

Atire a primeira pedra quem não tem algum ascendente “cabeça dura”. Por possuir mais idade, acredita saber de tudo e que tempo de vida vale mais que estudos direcionados. Defende que o conhecimento adquirido durante a vida prevalece. Você com certeza tem algum parente assim.

Ser conservador é algo normal para as pessoas dessa época, mas é possível encontrar muita gente nova que segue a mesma linha de raciocínio.  Pessoas assim não aceitam ser contrariadas e, mesmo você tentando ensinar e mostrando que seus argumentos estão certos, com base em estudos realizados, elas não vão querer te ouvir.

Se quiser ser bem sucedido, não seja assim! Tenha a mente aberta, saiba aprender com os demais e entenda que nem sempre temos a razão.

Todos nós cometemos erros financeiros, mas o maior passo que podemos dar para começar a trabalhar de forma correta com as finanças é nos desprender das crenças e “ensinamentos” dos nossos pais e avós, sabendo filtrar informações que podem ser úteis e aquelas que já não se aplicam mais.

Entenda que eles tentaram ensinar o que achavam que era o correto, pois na época deles algumas delas davam certo. Portanto, se você cometia esses erros, pare agora mesmo e comece a mudar sua mentalidade para ter uma mente milionária!

E você, cometia alguns desses erros? Então assine a newsletter para aprender mais sobre como enriquecer e se desprender desses equívocos que a maioria dos brasileiros cometem!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *