Pessoas com bons hábitos das finanças pessoais gastam da maneira correta, conseguem cortar custos, ter lucratividade, controlar o dinheiro, realizar sonhos e aproveitar a vida. Parece fora da sua realidade?

Infelizmente, a verdade é que ainda não temos uma cultura que nos incentiva a praticar bons hábitos financeiros. Como pelo menos a grande maioria dos brasileiros não teve educação financeira na infância, é normal vermos adultos enfrentando problemas nas finanças, ou tendo dificuldades em gerenciar o dinheiro.

Para uma parte dessas pessoas, a preocupação com as finanças pessoais aparece quando algum problema afeta no bolso. Existem aqueles indivíduos que ficam mais antenados no tema quando querem acumular dinheiro para viver de renda passiva. Outros buscam saber mais por se preocuparem com a aposentadoria.

Seja qual for o motivo, nunca é tarde para conhecer e colocar em prática os bons hábitos das finanças pessoais. Por isso, invista alguns minutos e anote nossas dicas.

1. Utilize ferramentas para controle do orçamento

Se você não tiver um controle do orçamento, é improvável que consiga ter bons hábitos das finanças pessoais. Isso porque é justamente o orçamento que tornará a tarefa de monitorar despesas mais fácil.

Sempre que ele for analisado, você conseguirá entender seu padrão de vida e veririficar o que pode ser melhorado ou alterado. Para esse controle, pode-se utilizar uma planilha ou um aplicativo.

Se você é fã de planihas, este artigo pode ajudar. Mas, caso prefira algum aplicativo para organizar as finanças, falamos sobre o tema neste post.

2. Controle os gastos

Este item tem a ver com o primeiro, mas colocamos de modo separado para reforçar a importância do controle dos gastos. Quando tocamos no assunto, muitos dizem “ah, mas eu sei quanto eu gasto com X, Y e Z”.

Será mesmo? Essa tendência de acharmos que estamos no controle é exatamente o que nos leva ao descontrole financeiro. Por isso, a boa prática que gostamos de recomendar é: anote seus gastos diários.

Ainda sobre este ponto, ao tratar dos bons hábitos das finanças pessoais muitos indivíduos passaram a adotar apenas o cartão de débito ou crédito para fazer suas compras. Além da questão da segurança, existe o fato de que pela própria fatura dá para fazer o controle dos gastos.

Centralizar as despesas no cartão pode ser uma boa ideia desde que você tenha controle e não seja um comprador impulsivo e compulsivo.

3. Espere 15 minutos

No livro “O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios”, o autor, Charles Duhigg, fala sobre um método para reduzir seu desejo compulsivo por doces.

Um dia, antes de ceder à tentação de um pacote de biscoitos, Charles decidiu esperar 15 minutos para ver se o desejo desapareceria.

A técnica pode muito bem ser aplicada aos hábitos de consumo. Toda vez que você sentir um forte impulso por comprar algo, distraia-se por 15 minutos e veja se consegue resistir.

Durante este tempo, reflita se a compra é realmente necessária e se ela vai mesmo trazer benefícios ao seu dia a dia. Pense em suas prioridades enquanto o tempo passa. Dos hábitos das finanças pessoais que trazemos aqui, este é o ideal para lidar com as compras por impulso.

Existem algumas pessoas que dizem que, se a compra for de algo que vá custar mais caro, o indicado é esperar 24 horas antes de tomar a decisão.

4. Faça sempre uma lista de compras

Uma das piores coisas que você pode fazer pelo seu dinheiro é sair para fazer compras sem ter uma lista. Quando falamos em “fazer compras”, nos referimos não apenas as idas ao supermercado, mas também às lojas de roupas, de cosmético, decoração, etc.

Sem uma lista dos itens que você precisa, é bem provável que a compra seja maior do que deveria, ou que você acabe adquirindo o que não precisaria. Em ambos os casos, comprar errado acaba sendo a receita infalível para os problemas financeiros.

Então, se você quiser garantir que não gastará mais do que precisa (seja para uma roupa nova ou para atender a necessidades domésticas), não saia de casa para fazer compras sem uma lista.

5. Crie um plano para poupar

Bons hábitos das finanças pessoais têm também a ver com poupar dinheiro. Comece perguntando a si mesmo: por que quero, ou preciso, economizar? Seu objetivo é ter o suficiente para se aposentar? Comprar uma casa?

Independentemente do motivo, é importante que você tenha um objetivo claro em mente e um prazo para o dinheiro que planeja economizar. A partir daí, e tendo em vista suas receitas, calcule quanto resta depois de pagar todas as suas contas e despesas mensais. Esse valor pode ser economizado para ajudar a alcançar sua meta.

Após este entendimento, uma boa dica é automatizar a transferência do seu dinheiro para uma conta que você deseja colocar o investimento. Assim, você não corre o risco de esquecer de realizar a aplicação.

6. Tenha uma reserva de emergência

Durante o correr do mês, qualquer coisa pode, de repente, colocá-lo em um problema financeiro. Visando evitar ser pego de surpresa, tenha um valor especificamente reservado para emergências.

O ideal é que este valor cubra seu custo de vida por pelo menos 6 meses. A fim de começar a montar a sua reserva de emergência, calcule suas despesas mensais (por isso que os pontos discutidos nos itens 1 e 2 são fundamentais).

Caso queira saber mais, acesse nosso guia definitivo da reserva de emergência

7. Aprenda sobre investimentos

Qualquer pessoa que compartilhe seus bons hábitos das finanças pessoais falará sobre maneiras de rentabilizar seu dinheiro. Para isso, estude sobre investimentos e finanças pessoais.

Entenda seu perfil de investidor, faça cursos e veja quais as melhores maneiras de fazer seu dinheiro trabalhar para você. Em suma: invista na sua educação financeira.

Quais outros bons hábitos das finanças pessoais podemos ter?

Nossos hábitos e ações impactam em nosso bem-estar geral. Isso vale a todos os hábitos adquiridos ao longo da vida, incluindo aqueles que se referem às finanças pessoais.

Ao começar a olhar para seus hábitos de gastos, você verá que ficará mais fácil implementar as alterações necessárias que o ajudarão a alcançar seus objetivos.

Mudar a vida financeira pode ser desafiador, mas é algo muito possível quando nos comprometemos a isso. Portanto, seja cauteloso com seu dinheiro e pense no futuro sempre que sentir vontade de gastar mais do que realmente pode.

Para encerrar, caso você tenha outros hábitos das finanças pessoais para compartilhar conosco, conte-nos nos comentários. Aproveite que está aqui e assine nossa newsletter para mais dicas como essas.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *